Desde 1984
Gladevon Costa
09 de Fevereiro de 2024
Quem são os corruptos?

A política em João Monlevade é um reflexo claro da triste realidade brasileira, onde os donos do poder manipulam e exploram o povo que, por sua vez, vende seus votos por pequenos favores. Essa dinâmica perversa perpetua a desigualdade e cria a possibilidade de corrupção, minando qualquer chance de desenvolvimento e progresso para a cidade.
Os donos do poder em João Monlevade são aqueles que ocupam cargos políticos, postos de reuniões obscuras que dão 'um gás' ao debate e abastecimento para oferecer migalhas para a população. Isso faz com que eles possam ter total influência econômica na região e, principalmente, no processo eleitoral. Eles utilizam práticas clientelistas e populistas para se manterem no poder, distribuindo favores e benefícios de forma seletiva. Essa estratégia visa garantir a fidelidade dos eleitores, que se veem obrigados a votar em determinados candidatos em troca de pequenas vantagens pessoais.
Essa relação de troca entre os donos do poder e o povo, é extremamente prejudicial para a cidade. Por exemplo, nessas práticas, recursos públicos podem até ser desviados em benefício próprio de pequenos grupos, enquanto as necessidades básicas da população são negligenciadas. Em cidades onde isso se perpetua, a falta de investimentos em áreas como saúde, educação e infraestrutura são evidentes, o que resulta em serviços de baixa qualidade e falta de oportunidades para os cidadãos.
Além disso, a venda de votos por pequenos favores é um ato de submissão e alienação e, até mesmo, corrupção por parte do povo. Ao trocar seu voto por uma cesta básica, um exame médico ou uma consulta, por exemplo, o eleitor coloca-se em posição de dependência e fragilidade perante os políticos corruptos.
Essa prática também perpetua a desigualdade social, uma vez que apenas aqueles que têm acesso a esses favores conseguem se beneficiar, deixando a maioria da população à margem dos acessos aos serviços básicos que são em sua maioria, direitos fundamentais de todos. 
É fundamental que nas eleições de 2024 o povo de João Monlevade desperte para a realidade e se conscientize da importância do seu voto. É preciso romper com essa lógica de troca de favores e, como cidadãos e cidadãs, lutarem por mais dignidade humana. Assim, passaremos a exigir representantes comprometidos com o bem comum e com a transparência na gestão pública. Só assim será possível construir uma cidade mais justa e igualitária, onde o poder seja exercido em benefício de todos e não apenas de alguns poucos privilegiados.
Em suma, cabe a você, leitor e eleitor de João Monlevade refletir sobre a cidade que queremos para o futuro. Não seja você o principal corrupto por se corromper e vender seu voto por migalhas. Só assim será possível construir uma sociedade mais justa e igualitária.

 

(*) Gladevon Costa é graduado em Jornalismo, Direito e Pedagogia