Desde 1984
Erivelton Braz
02 de Fevereiro de 2024
Salve a alegria desses dias

O que já é uma tradição em grandes centros como Rio, Recife, Olinda, Salvador, BH e São Paulo, a antecipação do Carnaval vem se tornando uma realidade em Monlevade. Neste fim de semana, a cidade vive o sábado e o domingo, dois dias de pré-carnaval com a alegria tomando conta da avenida Wilson Alvarenga, Praça do Povo e Praça Onofre Newton Ambrósio, na Castelo Branco. Desfiles de blocos, matinê, brincadeiras e atrações para crianças e shows animam a cidade. Mesmo sem ter carnaval, nos dias oficiais, Monlevade se entrega aos festejos, um fim de semana antes. 
A ideia, se não me falha a memória, surgiu na gestão do ex-prefeito Gustavo Prandini, entre 2009 e 2012. Depois de longos noves anos de silêncio (e uma pandemia no meio), surdos, atabaques e tamborins voltaram no ano passado. Um dos acertos da atual administração, através da Fundação Casa de Cultura. Quem disse que por aqui não pode ter carnaval? Basta querer fazer! E isso foi provado ser possível em dois anos seguidos. E tem tudo para continuar no futuro.
Afinal, Monlevade pode e deve abraçar essa pauta, mesmo com outros governos. A festa mostrou que veio para ficar. Em dois dias, famílias e amigos aproveitam o dia, a noite e as manhãs de folia. A cidade pulsa. A iniciativa movimenta a economia, fomenta os blocos, o comércio, os barraqueiros e leva as pessoas para uma festa de graça, na rua.
No ano passado, o evento agradou e, com correções de alguns pontos, espera-se que, neste ano, seja ainda melhor e maior. Com essa segunda edição, o pré-carnaval tem tudo para evoluir e se tornar referência, atraindo foliões de outras cidades. Torço para que o evento cresça e que também aconteça em vários bairros, com blocos descentralizados, ótima estrutura, segurança e animação. Quem sabe, em vez de um fim de semana, o evento possa ser realizado em dois ou em vários dias que antecedem a festa oficial?
É válido brincar, se entregar, dançar e aproveitar. O pré-carnaval e o carnaval são as maiores expressões de liberdade. Corpos e mentes livres. Só não pode ter falta de respeito, assédio (não é não), violência, brigas, xixi e lixo na rua, além de atrapalhar a festa. O resto, vale...
Tanto o Pré-Carnaval quanto o Carnaval são festas do povo e para o povo, nas ruas, avenidas, bares e praças. É tempo de dar um tempo. De deixar de lado o baixo astral. De ver que a alegria pode tomar conta. É hora de brincar, de desanuviar. De libertar fantasias, de dar voz ao que o coração grita. Quem gosta, que aproveite. Quem não gosta, que respeite. Um grande salve à alegria desses dias!

 

(*) Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação