Desde 1984
Editorial
17 de Junho de 2022
O desafio da cavalgada

Após dois anos sem grandes eventos, a Prefeitura de Monlevade anuncia o retorno da Cavalgada na cidade com um desafio: onde realizar a festa mais popular do município? Isso porque João Monlevade, ao contrário de cidades bem menores e com economias mais enxutas, não tem área adequada para eventos com grande público. 

Isso é fruto da pequena extensão territorial local. A administração municipal vai publicar edital de R$400 mil para contratar a empresa responsável pela festa. Acerta ao terceirizar a responsabilidade pela realização e contratação de shows, justamente no momento que cachês de artistas pagos com dinheiro público são contestados. Quem vencer, leva até R$400 mil e complementa os demais custos com venda de ingressos, patrocínios, aluguel de barracas, entre outros.

Outro acerto da Prefeitura foi também deixar para a vencedora da licitação, a indicação do local para fazer o evento, onde caibam 10 mil pessoas por noite e que tenha estacionamento para, no mínimo, 700 carros. O Parque do Areão, que está sendo revitalizado, e o estádio Louis Ensch não podem ser usados. 

O desafio está aí: como fazer uma festa que o povo merece sem um lugar apropriado? Mais uma vez, o improviso deve entrar em cena. Chão de terra, banheiros químicos e barracas sem estrutura como acontece há anos. Provavelmente, o evento deve ocorrer em algum loteamento ainda não acabado. A falta de espaços é um dos gargalos municipais. O povo ama a cavalgada e está saudoso dela e deve lotar o evento, mesmo com os problemas do local adaptado. Principalmente, se confirmadas as especulações dos shows de sertanejos e cantores de arrochas do momento. Mas o local precisa ser melhor definido. A cidade precisa encontrar uma solução para essa demanda e colocar um fim aos arranjos para as festas populares. Monlevade merece e pode mais.