Desde 1984
Coxia
13 de Maio de 2022
Coxia 2684

IML 

Mais uma vez, a pauta do IML volta à tona e a expectativa é que o novo espaço fique pronto ainda em 2022. Obra importante porque o atual IML, em sala pequena no Cemitério do Baú, há anos, tem condições precárias. Um ganho para toda a região, sem dúvida. Lembrando que IML não presta serviços apenas de necropsia, mas exames diversos, inclusive, de perícias. 

Bomba

As atuais condições da BR-381 provocam desânimo até em empresas para concorrer à licitação da rodovia. Os últimos leilões foram adiados por não atrair interessados. Enquanto isso, o asfalto da pista sofreu severas degradações, principalmente, nos km 321 (Nova Era) e 404 (Bom Jesus do Amparo). O prefeito de Nova Era, Txai Costa (Rede), não economizou nas palavras: “Que empresa vai querer uma bomba atômica dessas? Nem com o pedágio a R$15,00”. 

Prejuízo

Outra preocupação aberta dos prefeitos é com os prejuízos econômicos provocados pela precariedade da rodovia federal. Eugênio Müller, da Associação Comercial de Itabira (Acita), afirmou que os prejuízos provocados pelos acidentes passam dos R$500 milhões. Meio bilhão de reais e muitas vidas perdidas enquanto a duplicação e os reparos prosseguem a passos de tartaruga. Ainda segundo Eugênio, embora a rodovia seja federal, os problemas ficam com os municípios da região. 

Movimento

Por isso, é mais que justificado o movimento de prefeitos da Amepi e Associações Comerciais da região para pressionar e cobrar políticos para resolução das demandas. Já aceitando que a tão sonhada duplicação entre BH e Valadares não saia nesta década, o grupo cobra, pelo menos, melhorias urgentes na via, sobretudo no trecho do Médio Piracicaba. Comitiva de prefeitos e presidentes das Associações Comerciais voltou de Brasília nesta semana com anúncio de R$75 milhões para os reparos emergenciais e cobrança incisiva junto ao Ministério da Infraestrutura para acelerar as obras. Que não fique só na promessa.

Prazo

O vereador Fernando Linhares (União Brasil) pediu vistas no projeto de lei protocolado por si próprio que restringe a circulação e o estacionamento de carretas na região central de João Monlevade. Segundo ele, o prazo de sete dias é para que possa consultar representantes da categoria. Já passou da hora de providências serem tomadas a respeito desse assunto. 

Virtual

Pela primeira vez, um vereador participou virtualmente de uma sessão na Câmara Municipal de João Monlevade. Nesta quarta-feira (11), Belmar Diniz (PT) discursou e votou através de videoconferência, usando de uma faculdade permitida pela última modificação no Regimento Interno da Câmara, aprovada em dezembro. Agora, é preciso corrigir apenas o atraso (delay) durante as transmissões. 

Bençãos

A paróquia Nossa Senhora de Fátima conclui hoje (13) a festa em honra a sua padroeira, e com uma homenagem especial. A procissão sairá do Hospital Margarida, onde será feita uma oração especial pelos funcionários da casa de saúde, e seguirá para a igreja do bairro Vila Tanque, que leva o nome da santa. O Dia da Enfermagem foi comemorado ontem (12), e a bênção acontece após dois anos de trabalho exaustivo por conta da Covid-19. Merecidas bençãos. 

Lula

Comitiva de Monlevade, com vários servidores da Prefeitura, foi a BH na última segunda-feira (9) participar do ato Minas Abraça Lula. O ex-presidente e atual pré-candidato ao Palácio do Planalto já esteve em Monlevade em outras ocasiões. O município já foi protagonista do sindicalismo nacional e é governado pelo PT pela terceira vez. Porém, agora, Lula preferiu a capital, Betim e Juiz de Fora.  

Tudo caro

Enquanto a Petrobras acumula um lucro de R$44,5 bilhões somente neste ano, a população sofre com os altos preços dos combustíveis e do gás de cozinha. Em Monlevade, o litro da gasolina é encontrado a R$7,60 na maioria dos postos e o gás registra, em pouco menos de três anos, no país, aumento de 64%, ou R$45 a mais. Falta de sensibilidade da estatal e ações efetivas do governo federal contribuem para isso.  

Patrimônio

A valorização do patrimônio cultural está em alta. No mês de junho, está prevista uma corrida da memória, percorrendo os principais elementos da história da cidade: Fazenda Solar, Hotel Cassino, Hotel Siderúrgica, Escola Santana, rua Beira Rio e a Igreja São José. Boa iniciativa! O Centro Histórico de Monlevade merece ser revitalizado, com mais atrativos para a região e mais valorizado.