Desde 1984
Coxia
14 de Janeiro de 2022
Coxia 2667

Chuvas

Passadas as chuvas, o momento é de organização, limpeza e contabilizar os prejuízos nos municípios atingidos. Comerciantes já baqueados economicamente, precisam juntar forças para se reerguerem mais uma vez. A fé e a esperança nunca precisaram tanto estar em alta. 


Ajuda

A solidariedade está em alta. Muitos grupos se organizaram para doações às famílias atingidas pelas chuvas. Moradores foram abrigados em escolas e voluntários que têm barco e jet ski colaboraram com as forças de segurança para salvar e resgatar vidas. Não existem heróis, existe a solidariedade e a disposição para ajudar.


Solidários

É preciso destacar as ações do Lions Sobral, CDL, Sevor, Sindi-mon Metal, voluntários e empresários em prol das vítimas. Também da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (Amepi) e da ArcelorMittal que recebem doações e repassam aos órgãos competentes. Professores e alunos do Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas (ICEA/UFOP) em João Monlevade também montaram ponto de coleta e distribuíram doações, assim como igrejas e centros comunitários, Hiper e Super Comercial Monlevade, diversas outras empresas e estabelecimentos comerciais. Toda ajuda é bem-vinda!


Prevenção

João Monlevade tem duas regiões mais atingidas pelas cheias do rio Piracicaba: os bairros Amazonas e Santa Cruz são os pontos mais críticos. Não seria o momento da Prefeitura estudar uma forma de evitar o alagamento? Talvez a construção de piscinões para absorver a cheia do rio? É preciso pensar em obras que possam prevenir as enchentes. Fato é que aquela comunidade não pode ficar à mercê das chuvas e todos os anos, ser afetada por elas. 


Água

Passou da hora do município pensar alternativas para a captação, distribuição e o abastecimento da cidade, além do rio Santa Bárbara. Com a cheia do rio, aumentou a turbidez e as dificuldades de tratamento. O município ficou três dias sem água direta, o que é inadmissível. Momento oportuno para o governo refletir. Até porque, as contas continuarão chegando normalmente.


Meio Ambiente

A pauta ambiental é uma questão urgente e que precisa entrar na prioridade dos governantes e também da população. As chuvas sempre vão cair e ações de preservação e conscientização não devem ser deixadas de lado. A fatura sempre chega e é fundamental pensar de forma preventiva. 

Recursos

O governador de Minas anunciou o repasse de R$47 milhões para ajudar os municípios atingidos pelas chuvas em todo o estado. O valor é considerado muito pouco pelos gestores, que calculam prejuízos milionários. Isso porque o governador é pré-candidato à reeleição... Imagina se não fosse.


Eleições

Nos bastidores pipocam alguns nomes como pré-candidatos às eleições deste ano. Um deles, é o do ex-prefeito de Itabira, João Izael Quirino Coelho, que concorreria a uma vaga à Assembleia de Minas. Outro nome é do ex-vereador de João Monlevade, Djalma Bastos, também como provável concorrente a deputado estadual. Além desses, Tito Torres e Bernardo Mucida buscam a reeleição. 

Apoio

O vice-prefeito de João Monlevade, Fabrício Lopes (Avante), que é bastante articulado, ainda não declarou apoio a ninguém nas eleições deste ano. Nem para presidente, senador, governador e deputados federais e estaduais. Ele disse que ainda é cedo para se pronunciar e, mineiramente, prefere esperar. 

Bom trânsito 

O prefeito Laércio Ribeiro (PT) também não declarou quem vai apoiar neste ano. Mas, certamente, serão candidatos do seu partido. Para presidente, os petistas esperam a vitória de Lula no primeiro turno. Laércio prefere não polemizar e afirma ter trânsito com todos os políticos de várias legendas partidárias.

Barragens


As três barragens em maior situação de risco do Brasil atualmente estão localizadas em municípios que, por conta das chuvas, estão em situação de emergência, de acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais: Ouro Preto, Nova Lima e Barão de Cocais. Segundo a ANM, no entanto, as barragens não estão em situação de emergência por conta das chuvas deste ano, no entanto. Elas estão nesse nível de alerta desde março de 2019. Que Deus nos proteja.