Desde 1984
Coxia
10 de Setembro de 2021
Coxia 2650

7 de setembro


Em Monlevade, teve ato pró-Bolsonaro com carreatas e buzinaço em apoio ao presidente. Por outro lado, manifestantes contrários se concentraram em Itabira para protestar, pedindo mais vacinas, mais comida, mais emprego e “Fora Bolsonaro”. O clima em Monlevade e região não é diferente de outras cidades brasileiras.

Estratégia


Em seu programa diário em rádio Educativa, Carlos Moreira não poupa o atual governo do prefeito Laércio Ribeiro de críticas. Ele sobe o tom contra o trâsito, critica vacinação, aponta dedos para todos os lados. É o que resta ao ex-prefeito por dois mandatos e que teve a esposa, Simone Carvalho (PTB), como a última chefe do Executivo monlevadense: fazer a mesma política que sempre fez, jogando nos erros e apontando defeitos, como se tivesse todas as soluções que a cidade precisa. Será que esse jogo ainda funciona? 

Derrota


Após a derrota nas urnas na última eleição, o maior articulador e sabidamente o maior responsável pelas decisões na gestão do governo da esposa, Moreira ainda tem esperança de eleger um nome para a Prefeitura, já que ele mesmo só pode disputar eleições em 2027. Resta saber quem. Nos bastidores, circula o nome de José Roberto Fernandes, ex-provedor do Hospital e amigo pessoal do ex-prefeito. 

Dois lados


A Prefeitura de Monlevade precisa intensificar a limpeza de bueiros, canais, córregos, verificar encostas e muros de arrimo antes do período chuvoso. Isso, para evitar transtornos maiores com a chegada do período das águas, que costumam vir forte, após tanto tempo de estiagem. Falando nisso, justamente agora, esse é o drama. Com reservatórios baixos, o risco principal agora é faltar água para abastecer a cidade. Se não economizar, vai faltar. 

Subsídio


O subsídio para a Enscon Viação foi aprovado pela Câmara de Monlevade, em dois turnos, na última semana. O projeto repercutiu muito nas redes sociais, com duras críticas e exposição aos parlamentares que o aprovaram. No entanto, ressalta-se que a matéria é de autoria do Executivo Municipal.

Bomba


Durantes as discussões, vereadores afirmaram que o governo jogou uma bomba no colo dos parlamentares. Ou seja, se eles aprovassem (como ocorreu) receberiam as críticas da população. Se rejeitassem, ficariam com o ônus de serem responsáveis pelo aumento da passagem dos coletivos. É sair do espeto e cair na brasa.

CPI


Tem vereador endossando pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Enscon e populares têm reforçado o desejo nas redes sociais. No entanto, o que precisa ficar claro, é que uma CPI só se abre a partir de uma denúncia de fato. Ou seja, é preciso uma denúncia formal de ilegalidade para que essa seja apurada pela comissão.

Críticas


Muitos dos que se posicionaram contra o subsídio ao transporte coletivo, são candidatos a vereadores e a prefeito derrotados nas últimas eleições. Militantes de redes sociais, eles não poupam críticas e, muitas vezes, saem do tom e erram a mira de suas cobranças. Será que se tivessem sido eleitos fariam o mesmo?

Vacinas


A Prefeitura de João Monlevade inicia a aplicação da primeira dose da vacina contra o coronavírus em pessoas com 18 anos ou mais hoje (10). Agora, o município dá um importante passo para imunizar toda a população adulta. A partir do próximo dia 15, o governo federal autorizou a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos. Há cobrança por mais agilidade na imunização em Monlevade. 

100 Melhores


O prêmio 100 Melhores, realização do Jornal A Notícia, encerrou a votação no último dia 31, em breve, divulga a lista dos vencedores, eleitos por voto popular. A pesquisa, a cargo do DataMG, elege as marcas mais lembradas do mercado monlevadense e está em apuração. Foram pesquisados 120 segmentos dos quais os 100 mais votados serão premiados. 


Moção

O padre Marco José de Almeida, pároco e vigário episcopal, da Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Carneirinhos, será homenageado pela Câmara de João Monlevade. Ele recebe Moção de Aplausos, na próxima quarta-feira (15), durante sessão ordinária. A indicação é do vereador Belmar Diniz (PT) e foi aprovada por unanimidade.