Desde 1984
Editorial
23 de Julho de 2021
Fraude na vacinação é mau caratismo

Situação que já ocorreu em outras cidades brasileiras também aconteceu em João Monlevade: pelo menos três pessoas fraudaram a vacinação, tomando outras doses, de forma intencional e desnecessária. A medida revela uma falta de humanidade e de respeito à fila de vacinação na pandemia que já matou 546 mil pessoas no Brasil. 

O momento é de aflição para quem ainda aguarda a sua hora de vacinar. As três pessoas, literalmente, tomaram a vacina de outros, prejudicando o ritmo da aplicação. Tal conduta pode comprometer o Plano Municipal de Vacinação, com o desvio de doses que deveriam ser direcionadas ao restante da população ainda não imunizada.

A questão é séria e fruto da desinformação de que uma vacina é melhor que outra. Vale lembrar que vacina boa é vacina aplicada no braço. Se não foi por desconhecimento, certamente, trata-se de um caso claro de mau caratismo e negação à ciência. Enquanto há mortes, pessoas se apropriam de doses que não são suas, em total falta de respeito, quiçá, de humanidade. Também, não se pode esquecer, da gourmetização das vacinas por parte de alguns, alegando que umas marcas são melhores que outras.  

A Prefeitura não informou nomes ou endereços. Mas sabe-se que eles foram enviados ao Ministério Público para as devidas averiguações. Que o órgão faça a devida apuração e que os “espertinhos” façam as devidas reparações.