Desde 1984
Laryssa de Cássia Ferreira
09 de Julho de 2021
Julho Verde - Vamos falar sobre o câncer de cabeça e pescoço?

O câncer de cabeça e pescoço é um termo genérico que abrange os tumores malignos localizados no lábio, boca, língua, palato, amígdalas, faringe, laringe, tireóide, cavidade nasal e seios paranasais, além da pele da face, do couro cabeludo e do pescoço. Dados do Instituto Nacional do Câncer, de 2019, apontam que estes tumores estão em 2° lugar em incidência em homens, perdendo apenas para o câncer de próstata. Nas mulheres, o câncer de tireóide é o 5º mais incidente. 

Apesar de serem cânceres comuns, muitas pessoas nunca ouviram falar sobre o assunto e, infelizmente, desconhecem os fatores de risco para seu desenvolvimento, como se prevenir, quando suspeitar e como tratar. Dentre os fatores de risco associados ao desenvolvimento do câncer de cabeça e pescoço destaca-se o consumo de tabaco e álcool, presente em até 97% dos cânceres de boca; infecção pelo papilomavírus humano (HPV), relacionado ao câncer de orofaringe em jovens; e a exposição excessiva ao sol, nos cânceres de pele. 

A prevenção destes tumores inclui manter bons hábitos de vida, como parar de fumar, diminuir uso de bebidas alcoólicas, usar preservativos, vacinar adolescentes contra o HPV, usar protetor solar, ingerir regularmente frutas, legumes e verduras e cuidar da higiene oral.

Quando o câncer se desenvolve, pode apresentar sintomas que variam de acordo com a sua localização. Uma pessoa que fuma e bebe e apresenta ferida na boca que não cicatriza, alteração na voz, dificuldade de engolir ou nódulo persistente no pescoço deve estar alerta e procurar o médico o quanto antes. O diagnóstico nas fases iniciais permite altas taxas de cura, enquanto que nos tumores tardiamente diagnosticados as taxas caem para menos de 50%. Além disso, o tratamento de tumores avançados em cabeça e pescoço se associa a sequelas estéticas, funcionais e emocionais, com perda na qualidade de vida dos portadores destas patologias.

O médico especialista no diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com tumores de cabeça e pescoço é o cirurgião de cabeça e pescoço. Ele trabalha em conjunto com outros médicos, como o oncologista e o radioterapeuta, e com outros profissionais da área de saúde, como fonoaudiólogo, psicólogo, estomatologista, nutricionista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e outros. Esta equipe multidisciplinar é fundamental para o tratamento adequado e na reabilitação dos pacientes, estando associado a maiores taxas de cura e melhora na qualidade de vida.

A fim de divulgar o tema, no dia 27 de julho é celebrado o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço e durante este mês comemora-se o “Julho Verde”, para conscientização e combate a esses tumores. A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço coordena a campanha e reforça suas ações neste ano. Devido à pandemia de COVID-19, muitas pessoas deixaram de ser diagnosticadas ou retardaram o tratamento, tanto pelo medo de se contaminar como pela falta de atendimento médico. Com o slogan “Desperte a Esperança, Venha para o Julho Verde”, reafirma-se a necessidade de prevenir e de diagnosticar precocemente para, além de curar, oferecer as melhores condições aos pacientes. Na dúvida, consulte seu médico. Afinal, o câncer não pode esperar!


(*) Laryssa de Cássia Ferreira é monlevadense, médica cirurgiã de Cabeça e Pescoço e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço