Desde 1984
Erivelton Braz
08 de Março de 2021
Golpe de mestre que beneficia a região
O prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage (PSB), liderou a região e foi determinante para a decisão dos municípios da região de suspenderem os serviços não essenciais. A medida, para evitar colapso no sistema de saúde, é valida a partir desta semana.

Marco Antônio deu, de forma involuntária ou não, um “golpe de mestre” que beneficiou o Médio Piracicaba. Isso porque o governo de Minas Gerais vai priorizar o envio de vacinas contra a Covid-19, para

municípios pertencentes a onda roxa do programa Minas Consciente.

A decisão do governador, na sexta-feira (5), contempla cidades da região, que através da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba (Amepi), decidiram entrar voluntariamente na onda mais restritiva do plano. O prefeito de Itabira, vice-presidente da entidade, foi um dos principais defensores da medida.

Serão 2.280 doses a mais do que as previstas a chegarem nas cidades. Assim, Itabira, Rio Piracicaba, Nova Era, Bom Jesus do Amparo, Bela Vista de Minas, Itambé do Mato Dentro, Barão de Cocais, Ferros, São Gonçalo do Rio Abaixo, Santa Maria de Itabira, Catas Altas, Santa Bárbara, Morro do Pilar, Passabém, Alvinópolis, São Domingos do Prata, Dom Silvério e Sem Peixe, ganham doses extras de imunizantes.

João Monlevade não aderiu à onda, o que desagradou alguns prefeitos, que defendiam uma ação conjuta de todos os municípios. A cidade também se complica, perdendo a oportunidade de vacinar mais pessoas neste momento crítico em que estamos vivendo, com aumento de casos e superlotação de hospitais. Além disso, mantendo as atividades não essenciais em funcionamento, Monlevade atrai pessoas de toda a região, o que aumenta a circulação e a exposição do vírus.

O prefeito Laercio Ribeiro (PT), que é médico e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde (Cismepi), pediu até hoje (8), para avaliar a situação antes de optar pela adesão à onda roxa. Pode não dar mais tempo da cidade vacinar mais pessoas, com as doses extras.

Enquanto isso, a região protege seus habitantes com as medidas mais restritivas e também com mais doses de vacina. Neste momento grave, com sistemas de saúde colapsados, salvar vidas e proteger as pessoas, nunca foi tão prioritário. E decisõesi políticas acertadas colaboram também para isso. Prefeitos são eleitos para tomarem decisões duras e que a maioria da população não pode tomar. Agora, no fim da manhã, o Hospital Margarida está próximo de sua lotação máxima. O prefeito de Monlevade promete um decreto mais rigoroso ainda nesta segunda. Se for para suspender atividades e implantar um toque de recolher, bem que o município poderia ter aderido ao movimento regional junto aos outros prefeitos.