Desde 1984
Editorial
15 de Janeiro de 2021
Ponte Torta mata

Uma ponte antiga sobre o rio Piracicaba e sobre a linha férrea da Vale, no trecho da BR-262 em João Monlevade, mata. Em pouco mais de um mês, após a tragédia do ônibus que matou 19 e deixou 27 feridos, um caminhão despencou dos 30 metros de altura e deixou quatro pessoas mortas. E a pergunta que não cala: até quando? 

Quantas vidas precisarão ser interrompidas por um local sem infraestrutura, numa estrada que precisa ser duplicada e melhorada? O Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (Dnit) não esteve no local após o acidente do ônibus para avaliar as condições da ponte e iniciar ações para aumentar a segurança. É necessário e urgente que isso seja feito. As muretas da ponte têm cerca de meio metro de altura e não protegem ninguém. Isso precisa ser revisto. 

A região do Médio Piracicaba é uma das mais importantes de Minas. Por aqui são produzidas riquezas minerais, siderúrgicas e agropecuárias que são escoadas para todo o país. Aliás, a BR-381 e a BR-262 são vias de escoamento não só das produções locais, mas por aqui passam produtos de todo o país, que seguem do Nordeste para o Sul. E o que é feito para melhorar e facilitar esse transporte? É preciso dar um basta aos acidentes e as estradas precisam ser melhoradas. A Ponte Torta mata, assim como a BR-381 e a BR-262 também. Isso não pode continuar acontecendo. É preciso uma ação coletiva de prefeitos, deputados que têm votos na região e de todos os cidadãos, exigindo melhorias fundamentais para garantir a vida.