Desde 1984
Polícia
10 de Maio de 2022
PM e escola desmentem boatos de 'massacre' no Manoel Loureiro 
Reprodução - UFU

Frase provoca preocupação, mas escola e polícia dizem ser 'traquinagem' e orientam alunos

Uma pichação no banheiro de uma escola de João Monlevade provocou preocupação nas redes sociais nesta terça-feira (10). No início da tarde, circulou em vários grupos nas mídias sociais uma imagem com a inscrição “Massacre dia 10 de maio” na Escola Estadual Manoel Loureiro, no bairro Cruzeiro Celeste. As mensagens tiveram considerável repercussão, e internautas manifestaram receio de que o colégio pudesse ser, de fato, alvo de ataques violentos. 

O diretor da instituição, Joel Santos, confirmou que a pichação foi encontrada no banheiro. Um escrito semelhante fora encontrado no início deste ano. No entanto, ele desmentiu quaisquer boatos de que a escola sofreu algum atentado ou foi evacuada, confirmando que todas as atividades prosseguem normalmente.

Segundo Joel, o caso é tratado pela direção como um ato indisciplinar, uma “traquinagem” de algum aluno. Porém, por precaução, a equipe da escola buscou orientações, acionando preventivamente os serviços de inspeção escolar e a Polícia Militar. A PM confirmou a visita ao local e a orientação, e até o momento, o responsável pelas inscrições não foi encontrado.

Há possibilidade de que 'modismos das redes sociais' estejam atrelados ao episódio e o caso segue investigado. Joel dos Santos destaca que a Escola Estadual Manoel Loureiro trabalha com o Plano de Convivência Democrática, que ajuda a prevenir comportamentos violentos e buscam as boas relações entre os estudantes.