Desde 1984
Região
14 de Janeiro de 2022
Ação preventiva evitou tragédia maior em São Gonçalo do Rio Abaixo

As fortes chuvas que caíram no último fim de semana poderiam ter consequências muito mais danosas em São Gonçalo do Rio Abaixo se equipes da administração municipal não houvessem agido. Através do trabalho dos profissionais da Prefeitura, foi possível evitar que a tragédia tomasse proporções ainda maiores. 
Ainda às 20 horas da sexta-feira (7), Defesa Civil e funcionários do setor de Assistência Social procuraram as famílias residentes nas áreas mais vulneráveis, informando-as sobre os riscos previstos pelo Posto de Monitoramento de Peti. Dessa forma, 60% dos moradores-alvo foram retirados preventivamente de casa. Segundo a equipe de assistência social, alguns dos residentes das áreas de risco insistiram em ficar em casa, e por isso sofreram perdas materiais. 
O Centro Educacional de São Gonçalo do Rio Abaixo (Cesgra) e a Escola Integral do Centro acolheram 111 pessoas de 34 famílias, junto com os seus pertences, como móveis, eletrodomésticos e roupas. Algumas das salas também receberam farmácia e atendimento emergencial à comunidade. Como a sede da Farmácia Municipal foi inundada, o setor foi transferido para a Escola Integral do Centro. 
Com a ação preventiva e os boletins periódicos da situação no Peti, foi possível mitigar também os danos sofridos pelo comércio são-gonçalense. A assistência foi prestada por funcionários de todos os setores da Prefeitura, divididos em turnos de 12 horas, além de Bombeiros Militares, bombeiros civis e voluntários. 

Gabinete de crise

O prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, Raimundo Nonato de Barcelos (o Nozinho), disponibilizou todo o secretariado e equipe de governo no atendimento prioritário à população atingida pelas fortes chuvas que causaram enchente na cidade. O chefe do Executivo também nomeou de imediato o Comitê de Crise para a tomada de decisões e deliberações no apoio à população. “A prioridade do governo são as pessoas atingidas pela enchente”, ressaltou Nozinho, que solicitou apoio do Corpo de Bombeiros Militar, do Corpo de Bombeiros Civil e da Polícia Militar nos dias mais críticos da cheia do rio Santa Bárbara. O prefeito também deu total respaldo à Defesa Civil no trabalho de remoção de pessoas de áreas de risco como encostas e áreas ribeirinhas e no socorro às vítimas.

Limpeza 

Agora, com o nível do rio e a vazão do Peti voltando ao normal, as preocupações focam-se na limpeza da cidade, através da cessão de carros-pipa. Equipes da Prefeitura auxiliam os moradores na limpeza das casas, comércios e também atuam na higienização das ruas da cidade. Como o fornecimento de água potável teve de ser interrompido, a administração está usando caminhões para reabastecer as residências até que a distribuição seja normalizada.