Desde 1984
Região
14 de Janeiro de 2022
Barão de Cocais tem uma das barragens com maior risco de desabamento do país

Uma das barragens com maior risco de desabamento no Brasil está localizada na região do Médio Piracicaba, na cidade de Barão de Cocais. A barragem Sul Superior, da Vale, está classificada como nível 3 de emergência e está nesse nível de alerta desde março de 2019, após o rompimento da barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho. Com o risco, moradores foram retirados de suas casas. Outras barragens da região estão em nível 1, considerado menos grave (veja ao fim da matéria).
Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), a classificação é concedida quando técnicos constatam que a estrutura de uma barragem está em situação de rompimento iminente (pode acontecer a qualquer momento) ou quando ela já está se rompendo. 
A situação das barragens voltou à tona nesta semana em virtude das fortes chuvas que atingiram a região e todo o estado nos últimos dias. Além da Superior Sul, em Barão de Cocais, também estão em alerta as barragens Forquilha III, em Ouro Preto e B3/B4, em Nova Lima. Inclusive, o Dique Lisa, da mina de Pau Branco, em Nova Lima, que pertence à empresa Vallourec, transbordou no sábado (8). Devido ao grande volume de lama, a BR-040 ficou fechada por mais de 45 horas.
Segundo a ANM, as três são as únicas barragens do Brasil em situação de emergência nível 3. Em Minas, há 31 barragens em situação de risco.  Especialistas afirmam que as chuvas aumentam os riscos de problemas em barragens como as de rejeitos de mineração. Segundo eles, o risco no estado é ainda maior por conta da alta concentração dessas estruturas e da proximidade delas com centros urbanos.

Relatório

O governo de Minas Gerais e o Ministério Público (MPMG) receberam na quarta-feira (12) informações sobre a situação das 31 barragens que estão em emergência no estado. As próprias mineradoras forneceram os dados, após prazo de 24 horas para entregar as informações. 
 Das 31 barragens, 22 estão em nível 1 (quando há anormalidade, mas não há necessidade de retirada de moradores vizinhos), seis em nível 2 (quando há risco de rompimento e é recomendada a retirada de moradores) e três em nível 3 (quando há risco iminente de rompimento e moradores são obrigados a sair de suas casas).