Desde 1984
Polícia
07 de Janeiro de 2022
Rapaz é executado com tiro em Itabira e dois menores são apreendidos
Arquivo JAN

Um rapaz de 20 anos foi o primeiro a ser assassinado em 2022 em Itabira. Por volta das 18h15 desta quinta-feira (6), a Polícia Militar foi acionada ao bairro Nossa Senhora das Oliveiras, pois o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informava sobre um caso de tiros disparados e um rapaz baleado. Uma testemunha contou que os responsáveis pelo crime seriam dois menores, de 15 e 17 anos. Segundo ela, a dupla teria se aproximado rapidamente da vítima, e que o adolescente mais velho seria quem disparou o único e fatal tiro. 

A PM iniciou as diligências, e foi informada de que os dois suspeitos estariam abrigados no segundo andar de uma casa. Os militares cercaram o imóvel e questionaram a proprietária, que informou que seu marido alugara o segundo piso ao menor de 15 anos. A dupla procurada estava dentro do apartamento no momento da abordagem. No local, havia dez cartuchos calibre .380, uma cápsula deflagrada de calibre 44, 14 pinos de cocaína, cinco buchas de maconha, um telefone celular, um saco plástico com pinos vazios e R$55,00 em dinheiro. Os policiais também descobriram que o adolescente mais velho estaria mantendo um apartamento para esconder armas e drogas, encontrando no espaço um radiocomunicador na frequência usada pela Polícia Militar, uma bucha de maconha e um telefone celular. Também havia no imóvel os documentos de uma pessoa, que, aparentemente, abandonou-os ao fugir quando percebeu a chegada dos agentes. 

O adolescente de 17 anos assumiu o crime. Ele contou que se encontrou com o rapaz assassinado por três vezes, em locais distintos de Itabira, sempre com pessoas em motocicletas ameaçando sua vida e atirando em sua direção. O menor afirmou que a vítima estaria informando seus desafetos sobre seu paradeiro, e como a viu nesta quinta-feira, tomou uma arma de fogo, abordou-a e mandou que ela ficasse contra a parede, atirando uma única vez contra a sua cabeça. O assumido homicida relatou ter se livrado da arma do crime, dizendo que não revelaria onde ela estava. A dupla foi apontada como tendo sido responsável por vários crimes em Itabira. Os dois foram apreendidos pelo “ato infracional ao crime de homicídio” (termo utilizado pela legislação). A Perícia Técnica da Polícia Civil encontrou um furo de bala na sobrancelha esquerda do rapaz executado, e recolheu uma cápsula calibre .32.