Desde 1984
Geral
08 de Outubro de 2021
Crise hídrica ameaça Monlevade e população deve economizar

Itabira já adota racionamento de água desde terça-feira

Um possível racionamento de água em João Monlevade por conta da forte seca não está descartado. Ontem, em comunicado enviado à imprensa, o Departamento Municipal de Águas e Esgotos (DAE) apelou à comunidade para que economize o recurso, evitando lavar carros ou calçadas com água direta. 
Segundo o diretor-geral do DAE, José Afonso Martins, a captação em Monlevade é feita num trecho estratégico, abaixo de duas represas usadas na geração de energia: 'O abastecimento em João Monlevade pode vir a ser comprometido, caso as represas venham fechar as comportas para recuperação do nível das barragens, que está abaixo do ideal. Se a situação ocorrer com muita frequência e por longos períodos do dia, aí sim teremos o comprometimento da captação e, consequentemente, a queda na produção de água e a adoção de medidas de racionamento'. 
Por enquanto, diz a autarquia, a situação do abastecimento em João Monlevade é considerada estável, e o funcionamento da Estação de Tratamento de Água (ETA) e a entrega do líquido aos consumidores não foram comprometidos. 

Fórum das Águas

A crise hídrica em João Monlevade, bem como a elaboração de protocolo de ações e metas para a recuperação da Microbacia do Córrego dos Coelhos, localizada na região das Pacas, serão assuntos discutidos no dia 19 de novembro durante o Fórum das Águas. O evento será realizado na Câmara Municipal com a participação de especialistas e gestores. O Córrego dos Coelhos passa por graves problemas de assoreamento em seu curso d'água, além da falta de matas ciliares, disposição inadequada de resíduos sólidos e ocupação irregular das margens. Todas essas questões, conforme levantamentos preliminares, contribuem para a piora na qualidade do abastecimento em João Monlevade.

Itabira

O racionamento já foi implementado em Itabira. Na última terça-feira (5), a Prefeitura autorizou o Serviço Autônomo de Águas e Esgotos (Saae) a adotar o contingenciamento até o dia 20 de outubro, como forma de poupar os “exauridos” reservatórios que abastecem a cidade. O município é mais um atingido pela estiagem, uma das mais severas do século. 
Técnicos do Saae mapearam a rede de abastecimento e dividiram a cidade em seis regiões, de forma que cada grupo fique um dia da semana sem distribuição. A entrega da água será mantida em toda Itabira apenas aos domingos. A exceção será para os hospitais, com fornecimento mantido durante todo o dia. A Prefeitura anunciou que estuda estratégias para que serviços como o Programa de Saúde da Família (PSF) e os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) também não tenham suas atividades comprometidas. 
De acordo com a autarquia, a divisão considerou critérios como a extensão e a população dos bairros e a capacidade dos reservatórios. O gerente operacional do Saae, Júlio Saldanha, explicou que “temos quilômetros de rede de água e não escolhemos abrir e fechar registros por nome de bairro. Há critérios técnicos. Todas nossas ações de manobras são planejadas e objetivam equilibrar a distribuição de água na cidade”. O Executivo prometeu uma ampla divulgação da escala de contingenciamento e a formação de um grupo de trabalho com representantes do Legislativo municipal e da sociedade civil.