Desde 1984
Geral
15 de Setembro de 2021
Ações  para temporada de chuvas são desenvolvidas pela Prefeitura 

Diversos setores da Prefeitura de João Monlevade estão desenvolvendo ações preventivas ao período chuvoso deste ano. Conforme a administração, o trabalho é feito com apoio da equipe da Defesa Civil. Os principais serviços são desobstruções de córregos, bacias de contenção e limpeza de bueiros de ruas e avenidas.
Desde quarta-feira (15) até hoje (17), também serão vistoriadas obras em loteamentos em João Monlevade. O objetivo é verificar se eles cumprem determinações previstas na legislação, a fim de se evitar deslizamentos, entre outros, assim como o alagamento da região central.  
Segundo a Prefeitura, as secretarias de Obras, Meio Ambiente e a Defesa Civil vão percorrer construções do Alphaville, Belvedere, Mirante das Águas, Vale dos Cristais e Cidade Jardim, além de três grandes obras de outras empresas particulares. A intenção é identificar possíveis riscos e exigir a preparação e adequação dos espaços para evitar problemas maiores com as chuvas. 
 Ainda conforme a Prefeitura, estão sendo limpas as bacias dos bairro Tanquinho e do Areão, a rua Bélgica, no Cruzeiro Celeste, o canal da rua 36, no Loanda, e o canal da rua França, no Cruzeiro Celeste.

Problemas

Alguns problema já foram identificados. Segundo a Prefeitura, o córrego do Nova Esperança corre risco de assoreamento “devido às atividades antrópicas em sua área de influência. O córrego possui esse risco, porque, além dessas atividades, há as obras do loteamento próxima a sua margem. Para isso foram estabelecidas medidas ao empreendimento a fim de evitar o risco, através de um plano de contingência”. Além disso, a Prefeitura afirma que o local também tem risco de represamento, “caso ocorra obstrução na galeria (canalização)”. 
Também questionada se há risco da água invadir ou danificar as casas mais baixas da “Barraginha” nos dias de chuva, a Prefeitura afirmou que o “risco existe caso ocorra um elevado índice pluviométrico e caso a obra não seja realizada conforme projeto. Ressalta-se que as casas estão situadas em área de preservação permanente do córrego, área que tem a função, dentre outras, de preservar o curso d’água (área de inundação) e estabilidade geológica; ou seja, o risco de danificar as casas sempre existiu”, afirma a administração.