Desde 1984
Geral
15 de Junho de 2021
Morre, em BH, Eustáquio Parreiras

Por mais de 30 anos, ele prestou relevantes serviços a empresas e entidades de João Monlevade

Faleceu, em Belo Horizonte, na noite desta segunda-feira (14), o administrador Eustáquio Vanderlei Campos Parreiras. Ele tinha 77 anos e, segundo informações, estava internado em virtude de problemas hepáticos. 

Eustáquio Parreiras nasceu em BH em 1944, mas foi em João Monlevade que consolidou a sua carreira, por mais de trinta anos, com uma longa folha de prestação de serviços para empresas e entidades.  Entre essas, destaca-se a sua atuação à frente do Hospital Margarida à Fundação Cultural Educacional e Comunitária (Funcec), onde exerceu cargos de conselheiro, diretor e presidente. 

Ele também presidiu a Associação Comercial Industrial e Prestação de Serviços de João Monlevade (Acimon), entre os anos 1997 e 2000 e passou por diversas entidades empresariais e comunitárias. A Acimon manifestou pesar em nota na manhã desta terça-feira (15), em nome dos associados, diretores e colaboradores.

Confira um perfil biográfico de Eustáquio Parreiras, escrito pelo professor e escritor, Geraldo Eustáquio Ferreira (o Dadinho), gentilmente cedido ao A Notícia:

 

Tendo nascido na capital mineira em 11 de outubro de 1944, filho de João Batista Alves Parreiras e Inácia Campos Parreiras, o Administrador Eustáquio Vanderlei Campos Parreiras ali realizou toda a sua formação escolar e acadêmica. Passou por escolas tradicionais da Capital como o Grupo Escolar Pandiá Calógeras e o Colégio Santo Agostinho, tendo-se formado em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Administrativas da UNA, em 1969. Posteriormente, por demandas da carreira profissional, viria a especializar-se em Gestão Hospitalar pela Fundação Getúlio Vargas.

 

Iniciou-se na vida profissional em Belo Horizonte, onde exerceu atividades bastante variadas: começou no SESI em 1965, ocupando cargos administrativos e financeiros; passou pela UFMG exercendo a gestão hospitalar do Hospital das Clínicas e de diversos outros hospitais; atuou, ainda, paralelamente, como Coordenador de Recursos Humanos numa empresa de consultoria – Companhia Nova Administração – criada por formandos de sua turma. Foi, entretanto, em João Monlevade, onde trabalhou por 30 anos, que consolidou sua carreira. 

 

Com efeito, contratado pela então Companhia Siderúrgica Belgo Mineira (Hoje, ArcelorMittal), veio para João Monlevade em 1975, para administrar o Hospital Margarida, cuja manutenção passou a ser exercida pela Associação Monlevade de Serviços Sociais (AMMSS).  

            Por essa época, já estava casado com Regina Coeli Albernaz Parreiras, com quem teve três filhos: Juliana, Moema e Leonardo, os quais, estando em fase escolar, estudaram nas escolas de João Monlevade, principalmente no CENTEC, onde concluíram sua formação elementar, e dois deles concluíram no IES/ Funcec seu curso superior. Fixando-se com a família em João Monlevade, sua esposa, graduada em Letras na antiga FAE/Funcec, aqui instalou uma unidade do ICBEU, entidade que, por duas décadas, ministrou com qualidade o ensino da língua inglesa para milhares de estudantes e profissionais.

 

Dotado de excepcionais qualidades de liderança que punha a serviço do voluntariado, nunca se limitou, tanto em Belo Horizonte como em João Monlevade, às rotineiras atividades profissionais. Ainda estudante em Belo Horizonte, presidiu o Diretório Acadêmico da UNA, e, já funcionário, a Associação dos Funcionários da Faculdade de Medicina e a Associação dos Hospitais de Minas Gerais. Em João Monlevade, além da Funcec, foram numerosas as entidades que o tiveram como membro e/ou dirigente: Legião Municipal de Assistência Social, Rotary Club de João Monlevade (Fundador), Loja Maçônica Harmonia, Associação Comercial e Industrial de João Monlevade (Presidente por dois mandatos), Agência de Desenvolvimento de João Monlevade, Cooperativa de Crédito do Médio Piracicaba (Fundador), Fundação Municipal do Bem Estar do Menor, Embaúba Tênis Clube (Fundador), Conselho de Integração e Desenvolvimento Regional do Médio Piracicaba, que congregava 13 Associações Comerciais da região, ligado à FEDERAMINAS – Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais,  Associação dos Artesãos de João Monlevade e Cônsul do Clube Atlético Mineiro em João Monlevade.

 

Passou a integrar o Conselho Diretor da Funcec em 1994 como Vice-Presidente, assumindo a Presidência em 1995 em razão da renúncia do titular. Reconduzido em 1998 e em 2002, dirigiu a entidade em dois de seus quadriênios mais fecundos, marcados por intenso crescimento e realizações extremamente significativas, não obstante os contratempos e percalços gerados pela parceria com a Univaço. Foi exatamente no bojo dessa situação e no ápice dos desdobramentos gerados por ela que, em junho de 2004, renunciou à Presidência da entidade. 

 

Na condição de Presidente da Funcec, levou a instituição a sólida parceria com a FUNDAMIG – Federação Mineira de Fundações de Direito Privado - de cuja diretoria passou a participar, estando empossado em sua Diretoria Financeira na gestão 2006/2007.

 

Consumada essa intensa trajetória na vida empresarial e comunitária da cidade de João Monlevade, cidade a que dedicou 30 anos de sua existência, retornou, em 2005, para Belo Horizonte, onde morava. 

 

Tendo privado, durante todo esse período, não só da extrema confiança da Diretoria da Belgo, mas também da admiração e do respeito de inúmeros integrantes do comércio, da indústria e dos serviços de João Monlevade – aí incluídos a Funcec e o Hospital Margarida - pode seu nome ser inscrito, com justiça, no panteão das grandes personalidades da cidade de João Monlevade.