Desde 1984
Polícia
04 de Maio de 2021
PM investiga abordagem de militares a homem negro em Monlevade

Homem leva socos e sofre golpe 'mata-leão' durante revista. Segundo os PMs, ele atuaram porque foram insultados.

A Polícia Militar abriu um procedimento administrativo para apurar as circunstâncias de uma abordagem ocorrida na noite da última quinta-feira (29) no bairro Cruzeiro Celeste, em João Monlevade.

 O caso ocorreu em uma distribuidora de bebidas às margens da avenida Armando Fajardo, próximo ao encontro com a BR-381 e tem gerado muita repercussão, inclusive, na mídia nacional.

Imagens de câmeras de monitoramento do estabelecimento mostram dois policiais fazendo uma revista em um rapaz negro, quando um deles, dá um golpe em suas pernas, na tentativa de derrubá-lo. Após a queda, os PMs  atracaram-se a ele no chão, na tentativa de imobilizá-lo e dão socos nele. O suspeito tenta, de todas as formas, desvencilhar-se da ação, agitando, principalmente, as pernas, mas continua recebendo golpes, até ser agarrado por um dos militares pelo pescoço, num golpe popularmente conhecido como “mata-leão”. O golpe pode provocar a morte,  porque impede a respiração do imobilizado.

 Em dado momento, o rapaz ergue as mãos, mas não é largado pelos PMs. Uma mulher também tenta intervir a favor do homem, mas é afastada por um dos policiais. Ela parece tentar argumenta, mas não é ouvida. 

De acordo com o boletim de ocorrência, o homem foi preso por desacato porque insultou os PMs. A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira (3), que ratificou a prisão em flagrante do suspeito pelo crime de desacato. Após o pagamento da fiança no valor de R$ 1.100, ele foi liberado no mesmo dia da prisão.

A Polícia Militar disse que o Comando da 17ª Companhia de Polícia Militar Independente 'já está de posse das imagens e irá instaurar um procedimento, para verificar a atuação dos militares'. A PM reiterou que 'pauta suas ações em táticas, técnicas policiais,  cadernos doutrinários e seus Manuais de Procedimentos Operacionais e na garantia dos Direitos Humanos'.