Desde 1984
Polícia
04 de Maio de 2021
PM abre procedimento para apurar abordagem a ambulante em São Gonçalo do Rio Abaixo

A Polícia Militar divulgou nesta terça-feira (4) uma nota sobre uma abordagem a uma idosa em São Gonçalo do Rio Abaixo. Desde a tarde desta segunda-feira, circula pelas redes sociais um vídeo que mostra dois policiais segurando a senhora dentro do camburão de uma viatura. Na filmagem, feita por pessoas que passavam pelo local da ação, é possível escutar a idosa gritar por várias vezes a frase “ai, meu braço quebrado!”. 
Na nota, a corporação diz que foi chamada pelos fiscais sanitários da Prefeitura para dar suporte a uma verificação de uma denúncia de descumprimento das medidas de contenção à Covid-19. No local, encontraram a vendedora ambulante, de 69 anos, que estava em situação irregular perante o decreto municipal. Houve uma tentativa de diálogo entre as partes que, segundo o texto, mostrou-se infrutífera. Como ela resistiu, foi necessário que ela fosse conduzida de “forma técnica, para preservar sua integridade física”. A nota termina dizendo que, mesmo a senhora não tendo formalizado uma queixa contra os militares, a corporação abriu um procedimento administrativo para apurar a sua conduta. Confira a íntegra do texto, enviado pelo 26º Batalhão da Polícia Militar:
NOTA À IMPRENSA
O Comando do 26° BPM informa que por volta das 10hs de segunda-feira, dia 03/05, a Polícia Militar foi acionada para apoiar os Fiscais Sanitários que atuavam no Centro da cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo para verificar uma situação de descumprimento do decreto da prefeitura municipal n°073/2021, de 26 de abril de 2021.
No local, foi constatada a veracidade da denúncia, sendo a autora uma Senhora de 69 anos que exercia comércio irregular (ambulante).
Inicialmente, foram realizadas tentativas de diálogo com a senhora, a qual acabou resistindo às ações dos fiscais da Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, ocasionando o descumprimento das medidas impostas no Decreto supracitado. 
Diante dos fatos houve necessidade de condução da autora, de forma técnica para preservar a sua integridade física.
Por fim, o Comando do 26º BPM informa ainda, que mesmo não havendo formalização de queixa por parte da autora, foi instaurado um procedimento para apurar os fatos.
Polícia Militar: 245 anos, nossa profissão, sua vida!