Desde 1984
Editorial
01 de Abril de 2021
É hora da ação

As discussões sobre o que é ou não essencial já eram para ter sido superadas. O momento é de fechar a cara e se unir, de verdade, contra a disseminação do novo coronavírus. O país vive, e em Monlevade não é diferente, uma das maiores crises sanitárias da história. Enquanto a vacinação avança, mas aos poucos, mais casos de contaminações crescem assustadoramente.

Nos últimos dias, para se ter ideia, a cada duas altas de pacientes com Covid-19 no Hospital Margarida, quatro eram internados, a maioria, em estado grave, o que prejudica as chances de sobrevida. Já há pessoas esperando leitos e o temor é que haja mortes na porta da casa de saúde por falta de condições de atendimento. 

Não se trata mais de quais negócios devem abrir e quais devem fechar. O momento é frear a onda de contaminação, que está aumentando a cada dia. Não cabem mais olhares com vieses ideológicos, cada qual do lado da polarização que tomou conta do Brasil. A hora é de cobrar por mais vacinas e segurar, ao máximo, o aumento de novos casos. Não pode ser tão difícil entender que é preciso evitar aglomerações, lavar as mãos e usar máscaras. 

É hora de agir. É momento de ter mais empatia e respeito com a saúde das pessoas. Pacientes estão sendo intubados, faltam vagas e médicos e demais profissionais que lidam diretamente com a Covid estão no limite. Monlevade pode reduzir o número dessas contaminações e dar um grande passo para o fim dessa doença fatal.