Desde 1984
Coxia
05 de Fevereiro de 2021
Coxia 2619

Vacina

Cumprindo determinação do Governo Federal, a Prefeitura de João Monlevade dará início a aplicação das vacinas contra o coronavírus, nos profissionais de saúde da rede privada, na próxima semana. Dentistas, médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, motoristas de ambulância, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares, são os próximos a receber as doses. 


Idosos

Apesar do desejo, ainda não é a vez das pessoas acima de 60 anos. A decisão não é do município, mas de protocolos do Governo Federal e Estadual. Muitos acham que não estão sendo tratados como prioridade. A verdade é que profissionais da área de saúde têm mais contato com infectados, portanto, mais chances de contrair a doença. É preciso ter ainda um pouco mais de paciência. 


Primeira etapa

Conforme o plano nacional de vacinação, estabelecido pelo Ministério da Saúde, estão sendo vacinados nesta etapa da imunização: idosos em asilos; deficientes institucionalizados; população indígena e todos os trabalhadores da saúde. Ainda não foi definida pelo Governo Federal a data para a vacinação dos demais grupos prioritários, o que depende também da chegada de mais doses da vacina. Mas vai chegar a hora. 


Fake News


As fake news atingiram o vice-prefeito, Fabrício Lopes (Avante). Acusado de furar a fila da vacinação junto a familiares, ele registrou um B.O na delegacia e diz que vai até o fim com as medidas cabíveis para que o responsável seja encontrado e arque com as consequências da mentira.


Crime

Muita gente acha que as redes sociais servem como metralhadora de críticas e que estão protegidos atrás de um celular ou de uma tela de computador. Os atos relacionados à criação, à divulgação e à disseminação de informações falsas podem ser enquadrados em pelo menos oito artigos do Código Penal e um do Código Eleitoral, com penas que vão desde a aplicação de multas até a prisão e a perda de direitos políticos. É preciso ter responsabilidade.

Acertaram

Prefeito e vice, Laércio e Fabrício estiveram pessoalmente na Câmara de João Monlevade na última quarta, desejando aos vereadores sucesso na legislatura e boas-vindas aos trabalhos no Legislativo. Acertaram em cheio ao mostrarem que estão abertos ao diálogo, sinalizando parceria e respeito com a Câmara. Há anos um prefeito não visita a Câmara dessa forma, abrindo espaços para boa relação entre os poderes. Política se faz com bom senso e inteligência.


Presenças 

Além da visita dos dois, o chefe de Gabinete, Geraldo Giovani, e o assessor de Governo, o ex-vereador Gentil Bicalho, também acompanharam boa parte da primeira reunião do ano na Câmara. Mais um sinal de que o governo quer proximidade com os parlamentares. Na plateia, ainda, o ex-vice-prefeito, Wilson Bastieri, figura que faz parte da história do Partido dos Trabalhadores, mesma legenda do atual prefeito.


Diferenças

Mas já na primeira reunião alguns vereadores não se entenderam. Pastor Lieberth (Democratas) pediu vistas de sete dias, concedidas pelo presidente, Gustavo Maciel (Podemos), sobre o requerimento que pedia o congelamento dos valores do IPTU. Um dos autores da proposta, Tonhão (Cidadania), não gostou da atitude do colega, já que, segundo ele, o seu pedido “beneficiaria o cidadão”. Vale lembrar que todo vereador tem o direito de pedir vistas em qualquer matéria que tramita na Casa. Mas já?


Emoções

A nova Câmara promete muitas emoções. Os vereadores já demonstraram que têm perfil ativo e alguns “novatos” no Legislativo já têm experiências políticas fora da Casa. É o caso de Andrea Peixoto, ex-secretária de Saúde e ex-chefe da Vigilância em Saúde por anos, e do ex-prefeito Gustavo Prandini, que volta à vida pública, após hiato de 8 anos. Os dois são do PTB e foram eleitos pelo grupo da ex-prefeita Simone Carvalho (mesmo partido).


Falando nisso

Andrea é a única vereadora efetivamente ligada ao casal de ex-prefeitos, Simone e Carlos Moreira. Apesar de outros vereadores serem oriundos de partidos aliados aos dois, ela é a que tinha mais proximidade e que ficou mais tempo ao lado do grupo. Caberá a ela a liderança da oposição? Andrea vai se destacar por esse lado?