Desde 1984
Coxia
11 de Dezembro de 2020
Coxia 2612

BR-381

Apesar do grave acidente e da perda de 19 vidas e 29 feridos, não tivemos notícias do governo federal sobre as obras de duplicação da BR-381, sobretudo, no trecho onde ocorreu a tragédia. A Ponte Torta é velha, não tem manutenção e é um trecho muito perigoso da rodovia. É preciso que os holofotes para esse trágico acontecimento tragam novas luzes para a nossa região.


Prefeitura

De volta do feriadão prolongado, a Prefeitura reabriu as portas na quarta-feira e há muito serviço a ser feito nos vinte dias que faltam para acabar o governo Simone (PTB). Só a título de exemplo, restam as conclusões das pavimentações das ruas prometidas antes das eleições. Vai dar tempo?


Cidade triste

A prefeita Simone encerra seu mandato deixando a cidade triste. A primeira mulher a chegar ao comando do município vai encerrar o mandato deixando a cidade sem graça. Não há enfeite de Natal nas praças como em anos anteriores. Triste fim para a gestão Simone Moreira.


Pergunta

Se tivesse sido reeleita, a prefeita ia deixar a cidade apagada e sem clima de Natal? Será que o monlevadense, depois de um ano tão difícil em todos os sentidos, não merecia o aconchego de ver sua cidade iluminada como em anos passados? É o apagar das luzes mais sem graça de um governo de João Monlevade.


Urnas

Ainda sobre as eleições, a prefeita e seu grupo não tiveram a metade dos votos do segundo colocado. Numa conta simples, a prefeita só foi votada pelos 300 comissionados e seus familiares. Isso mostra a verdadeira força que vem do povo: tirar do poder quem não fez por merecer.


Bissexta

Depois do vexame das urnas, Conceição Winter deve fazer o que sempre fez após suas derrotas: recolher-se em casa, não dar nenhuma declaração importante, não se envolver nas questões da cidade, enquanto espera passar quatro anos para sair novamente em busca de votos. É igual ano bissexto, só aparece a cada quatro anos. É por isso que nunca conseguiu vencer.


Presidência 

Nos zunzunzum dos bastidores, circulou esta semana, o nome de Doró da Saúde como um dos prováveis nomes para presidir o Legislativo. Apesar de ter sido eleito pelo lado “Moreira”, Doró tem ligações fortes com o casal Dorinha e Machadão, nomes ligados ao vice-prefeito, Fabrício Lopes (Avante), e também ao prefeito eleito, Laércio Ribeiro (PT). Será?


Coincidência?

Outro nome já citado nesta coluna e que afirma ter desejo de ser presidente da Câmara é o eleito Fernando Linhares (Democrata). Linhares é articulado e tem conversado com os vereadores manifestando seu desejo. Coincidência ou não, ele também é ligado e tem o apoio do casal Machado.


Sobrinho

Aberto o período de especulações, outro nome que circula para ocupar um cargo de confiança do Legislativo é o de Flávio Machado, o Tita, sobrinho de Machadão e Dorinha, que assumiria a diretoria da Câmara. Se essas informações de bastidores se confirmarem, o casal Machadão e Dorinha terá o controle da Câmara. Vamos aguardar.


PT x Laércio

O monlevadense votou no Dr. Laércio, mas não votou no PT. Parece estranho, mas basta perceber que o Partido do prefeito elegeu apenas um vereador. Além da confiança no nome do médico, ex-secretário e ex-prefeito, pesou o fato do PT ter sido coadjuvante na campanha, com os destaques para a coligação montada pelo vice, com a visão política do Machadão.


Secretariado

Ainda sem notícias do secretariado do prefeito Laércio Ribeiro, especula-se também que o vice, Fabrício Lopes, pode ser assessor de governo. Ele teria o papel de articular a gestão com a Câmara, além das principais entidades e representantes públicos. Experiência, visão e vontade de fazer, isso ele tem de sobra. Resta saber se terá o espaço desejado. Ele também é cotado para a Secretaria de Obras, função que já exerceu muito bem em tempos atrás. 


Último elo

Como será a atuação de Andrea na Câmara? Ela será o último elo entre Carlos Moreira e os poderes públicos de João Monlevade. E, se não souber sua voz, se ficar à mercê dos desejos do radialista ex-prefeito, vai perder também a força que a elegeu. Andrea tem chance de fazer um bom mandato e mostrar que a experiência de décadas em cargos na Saúde foi boa para as pessoas. Do contrário, vai afundar como o seu grupo.