Desde 1984
Coxia
30 de Outubro de 2020
Coxia 2606

Paz?

Na semana em que o grupo da prefeita pede paz na campanha eleitoral, o líder do governo, Sinval Dias (PSDB), partiu para o ataque. Mais uma vez, ele protagonizou outro episódio de baixaria na Câmara. 


Descontrole

Sinval partiu para cima de Belmar (PT), o mesmo que recebeu dele uma livrada no rosto no ano passado, porque o petista disse que a prefeita foi recebida com “carinho” no bairro Industrial. Belmar não regiu e ouviu calado os gritos de Sinval Dias. No domingo, Simone e Carlos Moreira foram hostilizados naquele bairro quando pediam votos. Uma lata de cerveja foi arremessada contra o carro onde estavam, quando deixavam o bairro.


Pela culatra

Belmar disse que agiu com ironia, mas Sinval não entendeu assim e jogou por terra o discurso pacifista do grupo da prefeita que ele tanto defende. Até o ex-prefeito Carlos Moreira, conhecido por seu temperamento, tem pedido paz nas redes sociais. Neste caso, sem qualquer trocadilho, o tiro saiu pela culatra.


Vítimas

A agressão, claro, merece condenação veemente por parte de qualquer pessoa civilizada. No entanto, os governistas exageraram o episódio e se valeram dele para se colocar como vítimas de violência política. Alguns apontaram até que a grosseria teria acontecido somente porque Simone é uma mulher. Menos, pessoal. 


Papéis

Quem apostava em uma campanha eletrônica, sem impressos, enganou-se. A distribuição de santinhos e colinhas continua a todo vapor. Nas ruas, é fácil encontrar agitadores de bandeiras e agentes entregando os materiais gráficos, que entopem as caixas de correio. Também é fácil encontrar os impressos pelo chão, sujando ainda mais as nossas malcuidadas vias públicas. E claro, também é fácil encontrar cidadãos insatisfeitos e prontos para jogar toda aquela papelada no cesto de lixo. 


Fabrício

Fabrício Lopes (Avante), atual vice-prefeito, diz que ficou sem espaço no governo e que agora terá vez e voz junto a Laércio, em caso de vitória nas eleições deste ano. Ele é candidato a vice novamente e pode ser o primeiro vice da história reeleito com grupos distintos. 

Pastor Carlinhos

O vereador Pastor Carlinhos (PL), candidato a vice na chapa de Railton (PDT), tem falado menos na tribuna da Câmara. Ele, que sempre protagonizou debates e apontou dedos para a administração, tem tido uma atuação mais contida nas reuniões da Câmara. 


Conceição

Conceição Winter (Cidadania), a dona Conceição, voltou aos braços do grupo de Carlos Moreira. O mesmo que virou as costas para ela em 2008, quando ela era vice-prefeita e sonhava com a chance de ser a candidata da época. Pelo visto, está tudo na base da paz e do amor. 


Danilo

Danilo do Fraga (Patriotas) vem como vice depois de ter sido cotado como pré-candidato a prefeito, desde as últimas eleições. À época, no PDT, ele alegou que teve o tapete puxado pelo partido, que decidiu apoiar Railton. Será que agora emplaca?


Andrea

Andrea Brito é a vice de Delci Couto (PSB) e entra pela primeira vez na política. Ela vem com discurso de ser atuante no governo, em caso de vitória. O fato de não ser conhecida no meio político será que ajuda ou atrapalha? O que as urnas irão dizer? 


Comissionados

Monlevade é campeã de servidores comissionados em relação a outras cidades bem maiores. Segundo estudo do Observatório Social do Brasil (em Itabira), entidade sem fins lucrativos que avalia os governos municipais, a cidade, com 81 mil habitantes, tem 297,84 cargos de livre nomeação (na proporção de 100 mil habitantes). Para se ter ideia, Curitiba, capital do Paraná, com 1,752 milhão de cidadãos, tem apenas 12,63 comissionados, na mesma proporção. 


Erramos

Na última edição, a coluna Coxia cometeu um erro ao dizer que Carlos Moreira bancou festa de formatura do sobrinho, que hoje é candidato a vereador. Moreira está inelegível por pagar festa de formatura de um sobrinho, mas esse não é candidato às eleições deste ano. Pedimos desculpas pela informação errada.