Desde 1984
Erivelton Braz
23 de Outubro de 2020
Profissão Esperança

Seja em Brasília ou aqui, o que se percebe, é que o povo quer mudanças. Mudança de postura, mudança de ações, mudança de perspectivas. Como bem disse o célebre cronista Antônio Maria: “Brasileiro, profissão esperança”. Essa frase ainda nos é tão atual que, somos movidos por esse sentimento de expectativa diante do futuro.

João Monlevade não está isolada e o que se percebe nas ruas e nas conversas, é que o povo quer mudanças. Principalmente, na postura dos políticos. O monlevadense espera melhores condições de saúde, mais opções de emprego, mais segurança e menos corrupção na política. Aqui, o cidadão quer mais ações e menos discursos, mais resultado e menos projetos. Estamos em ano eleitoral e o povo não é mais inocente. Assim, o voto, mais do que nunca, está bem difícil de ser conquistado. Sem contar nos escândalos nacionais, dinheiro na cueca, desvio de recursos para combater a Covid, entre outras mazelas.

O povo está cansado de político que não soma e que não traz novidades. Além disso, as eleições deste ano serão vencidas por aqueles que tiverem mais capacidade de mostrar que realmente estão compromissados com a população. Não há espaço para mesmices.

Quem busca a reeleição, mostra o balanço do que considera positivo de seus quatro anos no mandato. Mas quem define o voto é a esperança do eleitor.

Faltam três semanas para as eleições que vão definir quem serão o próximo (a) chefe do Executivo e quem serão os 15 novos vereadores. Como numa partida decisiva de futebol, estamos caminhando para o segundo tempo da campanha eleitoral. E você? Já definiu quem são os seus candidatos? Já avaliou propostas e pensou nos melhores nomes para a cidade? O momento é agora. Nas últimas eleições, 19 mil pessoas votaram em branco, nulo ou não compareceram às urnas. Com a pandemia, estima-se que menos pessoas vão votar. No entanto, não se pode abrir mão do direito sagrado do voto. Afinal, quem não escolhe, acaba deixando para os outros, a decisão sobre o comando da cidade. Isso é muito sério. Ainda há tempo para fazer suas escolhas. Só não pode perder a esperança. Essa é a profissão principal do brasileiro. 


(*) Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação