Desde 1984
Erivelton Braz
10 de Julho de 2020
Um jeito novo de fazer política

João Monlevade precisa de um novo jeito de fazer política e que deve começar pelo próximo prefeito eleito. Precisa de um jeito diferente de olhar para o setor público. Não dá mais para governar com os mesmos modos de anos atrás. São 80 mil habitantes que esperam uma vida melhor, mais saúde, mais segurança e educação. Prefeito não pode prometer construir algo que não seja essencial, enquanto falta o básico para muita gente.

Enquanto o povo pisa na terra, não dá para se falar em obras de novas avenidas. Enquanto o povo ainda não tem saneamento básico ou sofre com a falta de água, deveria ser proibido prometer obra que não seja urgente. É preciso mudar essa forma de fazer política. E o jeito novo não está na cartilha de quem já esteve no poder. Está na hora de um jeito novo de pensar a política.

Assim, o populismo precisa dar espaço à visão técnica, comprometida com resultados e ações que, de fato, vão melhorar a vida das pessoas. O cidadão quer isso: vida melhor! E é por isso que ele aposta no voto para a mudança que ele quer. 

Basta de promessas vazias, aquelas de sempre, requentadas e de obras que não serão feitas, se falta gestão. Basta de enganar o povo com ações de última hora e feitas com dinheiro emprestado para outros pagarem. Isso, porque o dinheiro que existe, não sobra. São tantos penduricalhos que sugam a máquina pública. E esses, são cargos em excesso, gratificações para os mais chegados, secretarias obsoletas e cheias de correligionários. 

Agora é o momento de refletir. O cidadão monlevadense tem a vida que quer e merece? Essa deveria ser a primeira resposta de um candidato comprometido com o bem estar do povo. O resto, é demagogia. Afinal, é o cidadão quem banca a estrutura pública e espera um trabalho digno para ter uma vida melhor em troca disso. 

E as eleições já têm data: 15 de novembro. Até lá, é hora de prestar atenção no que foi feito e no que está sendo prometido. É necessário ficar atento aos políticos que estão no poder atualmente, sendo eles prefeita, vereadores e vice: O que eles fizeram para merecer o seu voto? É hora também de analisar os nomes que estão fora e querem entrar, com discurso de renovação. Aliás, eles serão de fato a renovação? Como poderão contribuir para uma cidade melhor? A hora é de eleger quem tem compromisso, capacidade e provou que pode ajudar o município a ofertar uma vida com mais qualidade para as pessoas. 


(*) Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação