Desde 1984
Editorial
26 de Junho de 2020
Não é hora de relaxar
O aumento de 712% de casos de coronavírus em apenas 30 dias em João Monlevade, chama a atenção para um detalhe: não é hora de relaxar. Ao contrário, o momento é de redobrar os cuidados, com uso de máscaras, lavando as mãos e evitando sair de casa sem necessidade. O distanciamento social também é fundamental neste momento. Não é hora de festas, de reuniões, de eventos.

Os números aumentaram muito, em virtude dos testes feitos pela empresa Vale e também pela Prefeitura, que vem testando funcionários da saúde e de outros setores, conforme protocolo. Porém, a falta de testes em massa esconde um número ainda maior. E não é só aqui. Minas Gerais é o Estado que realiza menos testes em todo o país: 155 exames a cada 100 mil habitantes.A falta de testes na população em geral, pode esconder um número significativo de contaminados assintomáticos, que ficam de fora das estatísticas e dos serviços médicos. Para se ter ideia, em março, a Vigilância em Saúde do Estado reconheceu que o número de casos poderia ser até dez vezes maior do que o registrado por causa da subnotificação.

Mas isso pode mudar, já que medidas para ampliar a testagem já estão em andamento. O governo federal já trabalha com uma nova meta: a de que um quarto da população brasileira seja examinada. Enquanto isso, a população não pode ignorar os cuidados mínimos para impedir a circulação do vírus.

O fato de João Monlevade ter apenas dois internados com suspeita da doença, a região ter mais de 1.000 recuperados e o registro de duas mortes nas 17 cidades, não exime a falta de precaução. Além disso, mesmo com os 24 leitos no Margarida para tratamento da Covid-19 nunca terem recebido mais do que cinco pacientes, não significa que a população deva relaxar as medidas de segurança. É prudente evitar aglomerações e até ida a supermercados de forma desnecessária. No momento em que o contágio acelera em Monlevade, pode ser fatal não enxergar a real situação da pandemia. Seja na falta de testes pelo poder público, seja no comportamento imprudente de alguns.