Desde 1984
() Erivelton Braz
12 de Junho de 2020
Apesar da separação ou amores imperfeitos

Os ex-amores costumam permanecer muito tempo vivos nos corações dos amantes. É parecido como quando morre alguém. Vez ou outra, essas pessoas parecem estar vivas. A gente anda pela casa e quase esbarra nelas. A gente perde o sono e olha para a porta e tem a impressão de que estão ali, nos velando tristemente, naquele espaço entre o sono e o despertar. 

O mesmo acontece com os ex. Não é fácil encerrar um relacionamento. Dizer adeus não se aprende, mas é preciso aceitar que os amores são feitos aves de verão que vão e vem. Apesar do que cantaram Leandro e Leonardo, os fins de caso não são assim, como nos filmes ou nas canções.

O ex-amor fica ainda por bons tempos em nossos gestos. Naquela frase típica. Numa lembrança de um carnaval que passou. Os ex-amores ficam durante um tempo em nós porque fim de relacionamentos costuma deixar pendências. Há uma vontade de ouvir uma satisfação que não foi dada, uma explicação que não faz mais sentido, um por que sempre ecoando na mente... Por isso, a dor do ex-amor, é tão necessária para curar as feridas que ele mesmo deixou. 

Não concordo que se cura um amor com outro amor. É preciso sofrer, ir à fossa ou à lama para se recuperar e então voltar a amar. O coração é terreno fino, como areia da beira mar. Guarda rastros por muito tempo e só quando a maré enche, é que se cobre as pegadas do que passou. 

Por outro lado, há também aqueles amores fast food, que não deixam nada. Sem ressentimento, acabam. Não é que não foram importantes ou menos intensos. É que, simplesmente, não deixaram marcas. Cada um para o seu canto, melhor assim.  

Amar é para os fortes. Não é para qualquer um. Há amores que parecem ter sido escritos à mão por poetas românticos, outros, se assemelham a comédias de Wood Allen. Outros são trágicos e pungentes como uma ópera. O amor tem dessas coisas... 

Toda maneira de amor vale a pena. Em tempos de ódio e tanta solidão, um gesto de amor ilumina a vida. Hoje é dia dos namorados. Dia de celebrar o amor. E, para quem não os tem mais, é dia de reviver os amores na lembrança. Afinal, como cantou o Skank, os amores imperfeitos são as flores da estação. Um ótimo dia, para quem tem e quem não tem namoradxs!


(*) Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação