Desde 1984
Lavanderia Monlevade
24 de Janeiro de 2020
Márcio Passos
O competente engenheiro Eduardo Quaresma fez uma análise técnica perfeita sobre o problema das enchentes em João Monlevade, em texto publicado na página 2 da última edição do A Notícia.
Apesar de não entender nem de engenho de cana, me permito fazer uma análise política sobre a questão que assusta monlevadenses ano sim e outro também, quando o período de chuvas chega trazendo apreensão e enchentes. Nos anos mais recentes não se registraram vítimas fatais ou catástrofe com grandes prejuízos, mas quase chegou lá com as principais avenidas e ruas tomadas por assustador volume de água que, por consequência invade casas e lojas e deixa muita lama.
A Prefeitura de João Monlevade vem se especializando em lavanderia, dando show na rapidez com que lava as vias públicas, acreditando que está servindo de exemplo para muitos outros municípios e tem até assessores cobrando reconhecimento e elogios pelo trabalho e capacidade de reação. Então tá, vamos lá: parabéns
O problema, no entanto, não se resolve com lavanderia e demanda ações profissionais e de cidadania indispensáveis e muito bem alertadas no texto do Quaresma. “Lavou tá lavado”, se funciona noutras situações, nesta aqui não resolve. As enchentes que se repetem são recados da natureza que estariam antecipando alertas de possível tragédia.
Além de longa, ampla e eficiente campanha de educação ambiental que passe pelas escolas e atinja toda a população, propondo ações de cidadania para amenizar a poluição provocada e que agrava a fragilidade da estrutura urbana na cidade, são necessários recursos para serem investidos em obras principalmente no canal da avenida Wilson Alvarenga, corrigindo o ângulo das interseções que trazem o volume da água de tantos bairros, bem como revisão das normas do Plano Diretor do município ou, pelo menos, uma otimização da capacidade dos órgãos públicos de exercerem seu papel fiscalizador.
O título de excelência profissional como “Lavanderia” não resolve os problemas das enchentes em João Monlevade. É um desafio enorme, talvez um dos maiores, mas que precisa ser tratado como prioridade num município essencialmente urbano e com excesso de pavimentação impermeabilizante. Empurrar o assunto com a barriga ou repassar o problema para as próximas gestões é comprometer com sérios riscos o futuro não tão distante.

() Márcio Passos é jornalista e fundador do A Notícia