Desde 1984
Márcio Passos
11 de Outubro de 2019
Simone não precisa de oposição
Já o disse aqui várias vezes e repito, mesmo diante da possibilidade de o poder a estar mudando: Simone Carvalho é uma pessoa do bem, de família com princípios, valores éticos e morais e capacidade de fazer o melhor por João Monlevade e seu povo. Esperava do governo da primeira prefeita eleita uma cidade mais cuidada e mais bonita, mas não há como não reconhecer seus valores diante de um momento econômico que praticamente quebrou todas as prefeituras. Apesar dos empréstimos com objetivos eleitoreiros (e aí está o mal da possibilidade de reeleição) avalio o governo Simone Carvalho como acima da média dos municípios brasileiros. As finanças estão razoavelmente equilibradas e ela vem fazendo o possível diante do que lhes resta de recursos para investimento, além de manter rigorosamente em dia os pagamentos de funcionários e fornecedores, assegurando em razoável patamar os serviços básicos devidos à população. Grandes obras estão fora de cogitação e algumas decisões mereciam ser revistas, bem como é um crime neste estágio atual continuar abrindo mão de importantes receitas internas. Na média geral, no entanto, Simone vai razoavelmente bem com seus 38% de aprovação, percentual alcançado atualmente por pouquíssimos prefeitos em todo o país. Além disso tem 47% de avaliação “regular” que, bem trabalhados, podem elevar sua aprovação para, no mínimo, 60% de aprovação e que seriam suficientes para sua reeleição.
Se há espaço para melhoria entre os eleitores, entretanto entre seus auxiliares, colaboradores e puxa-sacos ela só encontra dificuldades. No caso das pesquisas, no lugar de comemorarem os resultados e traçar um plano de trabalho político para consolidá-los, preferiram desmerece-los juntando “regular” com avaliação positiva na tentativa de enganar a população. Mas o povo não é bobo e as reações nas redes sociais pioraram ainda mais a avaliação da prefeita, além do constrangimento causado.
Não é o primeiro erro e parece que não será o último, sempre em prejuízo de Simone Carvalho, a aparentemente mais humilde e tolerante de todo o grupo que acha que a sustenta no poder. São inúmeros os casos em que partem para a briga diante de uma simples opinião contrária (e a prefeita começa a entrar nesta paranoia) e que cresce de valor graças à reação quase sempre tresloucada deles, incluindo o marido e comunicador que mais ataca e provoca adversários ou não, do que realmente divulga o que há de bom no governo da mulher.
Simone não precisa de oposição porque já a tem no próprio governo e, até mesmo, porque não a tem do lado de fora e as pesquisas mostram isso com muita clareza. O que ela e seus auxiliares precisam é de um freio de arrumação para que não termine seu governo ainda pior, quando as urnas poderão provar que temos alguma razão, mas que o tempo passou. E o ponto de partida é jogar a arrogância no lixo, praticar a tolerância e humildade que a política inteligente exige, além de compreender que o público não é privado.

() Márcio Passos é jornalista e fundador do A Notícia