Cotidiano
29 de março de 2018

Ele estará sempre por perto

A fé sempre foi o meu guia. Desde pequena, o Deus da minha imaginação tinha barbas brancas e ficava sentado em um trono dourado e vermelho, rodeado de anjos, olhando por nós lá de cima e dando ordens para os seus ajudantes. Cresci acreditando nesse Deus real, que me ouve a todo momento e me conforta, muitas vezes, em pensamento, nos momentos mais difíceis.
Na adolescência me apeguei à Nossa Senhora como nunca. Ela era minha confidente, minha ouvinte noturna e minha referência de amor e zelo. Conversava diariamente com Ela, pedia conselhos e orientações, e o que eu não falava com minha mãe ou com minhas amigas, falava para Ela. Nossa Senhora sempre teve um abraço quentinho, que me acolhia nas aflições dessa idade.
Já adulta, sigo orientada pela minha fé, em Deus, em Nossa Senhora e também nos seres de luz que eu sinto comigo, como anjos. Sei que estão por perto, mesmo que eu não os veja, e sei que zelam por mim. São companhias muito agradáveis, que me ajudam a manter o equilíbrio e me orientam em meio ao caos.
No meu humilde entendimento sobre a fé, compreendo que a única religião que Jesus Cristo nos deixou foi o amor. O amor ao próximo, o amor real, aquele que toca, aquele que a gente sente, que chega até a arrepiar. A caridade, na sua prática, não apenas como intenção. Doar-se ao outro é bem maior que doar roupas ou alimentos. Muitas vezes, aquele que nos bate à porta, precisa de uma palavra, uma simples orientação, ou um abraço.
Os bens físicos, claro, também são doações. Mas a doação vinda da alma é mais abrangente, atinge o outro de maneira inexplicável. Jesus, quando esteve entre nós, espalhou o amor por onde passou e fez da caridade, o seu legado. Ele, como Senhor que é, ensinou aos homens com o seu exemplo de doação da própria vida em prol da humanidade.
Jesus está conosco, mesmo quando não estamos com Ele. Mesmo nos momentos de enfraquecimento da nossa fé e da nossa esperança, a mão Dele sempre estará ao nosso alcance, basta a gente tocar. Como Ele nos concedeu o livre arbítrio, sempre temos dois caminhos para escolher, inclusive, podemos escolher não estarmos com Ele. Podemos renascer todos os dias, se sempre nos dispusermos a isso. No nosso tempo, na hora que nos sentirmos prontos, Ele estará sempre por perto.
() Gabriela Gomes é publicitária e responsável pelo setor comercial do jornal A Notícia