Editorial
16 de fevereiro de 2018

Público e privado

A região do Médio Piracicaba manteve a folia acesa na maioria das cidades, movimentando o turismo e a economia local. Alvinópolis, Bela Vista de Minas, São Gonçalo do Rio Abaixo, Barão de Cocais, Nova Era, Santa Bárbara, Catas Altas, entre outras, estão de parabéns por manterem a festa neste ano, mesmo sem ter tantos recursos. Em Alvinópolis, por exemplo, o prefeito João Galo Índio (PTB) afirmou que a festa só foi realizada porque empresários, através da Associação Comercial, além da Câmara Municipal, abraçaram o evento. Além disso, voluntários, populares e ativistas se engajaram com garra para promover a festa. A Prefeitura mesmo, segundo o prefeito, investiu muito pouco, garantindo o mínimo necessário para o sucesso do evento. É a prova de que parcerias entre as iniciativas públicas e privadas podem gerar enormes frutos e deveriam ser repensadas e ampliadas.
Em plena era da conexão e das redes de relacionamento, não dá para fazer de conta que os poderes público e privado são independentes. Um está ligado ao outro, por uma questão simples: a cidade é de todos. Passou da hora de compreender que a união entre os vários segmentos sociais traz resultados relevantes para todos.
Em João Monlevade, as reformas de praças, que só foram possíveis graças à parceria entre empresas e a Prefeitura, são ótimos sinais de que a união faz a força. Há interesse das duas partes? Mas é claro. Se o empresário investe dinheiro para melhorar uma praça, por exemplo, é claro que ele também está querendo beneficiar o seu espaço. Mas qual é o problema, se a coletividade também ganha no final?
É preciso pensar e agir em coisas maiores, para que João Monlevade retome o seu protagonismo histórico, a sua vocação para a liderança e reaja. É preciso que a cidade deixe de ficar apequenada pelo excesso de críticas, palpites e tão poucas realizações. Investir em novas parcerias traz luz aos rumos que o município precisa tomar. Está na hora de tirar João Monlevade do atraso. E o trabalho construtivo, entre todos os segmentos da sociedade e o poder público, só vêm a somar.