Você está em Opinião / ESPAÇO LIVRE /
Espaço Livre
7 de dezembro de 2017
Cotidiano
Força Feminina

Para algumas pessoas, as coisas parecem mais fáceis. Comigo não é bem assim. Mas a força que me move é maior que os desafios que me chegam. Sou aquela que anda na chuva, de sombrinha, e com as mãos repletas de sacolas. Sou a descabelada, a atrasada, a eufórica. Sou eu, e sou como tantas outras mulheres fortes, não apenas por opção, mas por falta da mesma.
Aos 7, ajudar na limpeza da casa era minha obrigação. Aos 12, trabalhava por meio período na locadora de uma amiga. Aos 16, tive meu primeiro emprego formal, de carteira assinada. Aos 21 me casei, aos 25 fui mãe e aos 26 concluí a faculdade. Agora com 31, tenho 15 anos de contribuição, muitas histórias para contar, uma família abençoada e alguma experiência de vida.
Muitas mulheres vivem assim. Na correria, na luta, pagando as contas e criando os filhos. Algumas são casadas, outras solteiras, e correm do mesmo jeito. A força que nos move é a de não ter tempo, porque sempre tem uma panela no fogo. Sempre tem um cesto de roupas para lavar, e uma pia cheia de louças. Sempre tem o cansaço do dia de trabalho fora e muitas contas para pagar. Sempre tem o trabalho extra, a noite, a conclusão do novo curso e as visitas inesperadas.
Os filhos sempre pedem atenção, e nós apenas tentamos equilibrar, como malabaristas, todos esses desafios diários. Sempre tem alguma coisa mais importante, ou mais urgente, que nos mantêm de pé, e nos impede de ter tempo para desistir.
Sim, eu também choro no chuveiro. Também tenho dias difíceis, dolorosos, com minhas dores particulares. Mas é quando eu enxugo o rosto e seco a tristeza, que me sinto mais forte. Mais mulher, mais eu mesma. Sei que com muitas, isso também acontece. A mulher, por natureza, já nasce forte. São elas que geram outra vida e a colocam no mundo. São elas que amamentam e doam suas noites e seus dias, para nutrir aquele ser tão pequeno, de leite e de vida. São elas, somos nós. Uma se reconhece na outra, e assim seguimos.
Para algumas as coisas são mais difíceis. Por causa de dinheiro, pela criação, ou pelas circunstâncias. Não importa. Algumas correm mais. Choram mais, caem e se levantam mais vezes. Consequentemente são mulheres mais fortes. E eu, graças a Deus, faço parte desse time.

() Gabriela Gomes é publicitária e responsável pelo comercial do jornal A Noticia

LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS