Você está em Opinião / PONTO E VÍRGULA /
Ponto e Vírgula
17 de novembro de 2017
Notas Curtas
65 anos do Hospital
O Hospital Margarida completou 65 anos de história ontem (16) e é o maior patrimônio social de João Monlevade. Eu nasci ali. Minha filha também. É para lá que vamos, nos momentos de alegria e de tristeza. Por isso, é louvável perceber que inciativas interessantes estão sendo realizadas em prol do Hospital. A casa de saúde não pode ser vista com revanchismo ou um pedaço de doce, do qual cada grupo político quer um bocado. O Margarida é de todos nós. Inaugurado em 16 de novembro de 1952, a casa de saúde foi construída por Louis Ensch, engenheiro luxemburguês, pioneiro no fazer social de João Monlevade e recebeu o nome de sua mãe, Marguerite Ensch. É preciso reconhecer que o Hospital Margarida precisa de ajuda, de quem quer que seja. Basta de brigas de quem faz mais ou melhor para o hospital. O melhor presente dos 65 anos do Margarida, sem dúvida, é que sejam resolvidos os seus problemas financeiros. De preferência, que ele passe a ser alto sustentável, sem interferências políticas.

Nova 381
Um manifesto em defesa da duplicação da BR-381, sobretudo na região, foi entregue ao Movimento Nova 381 nesta semana. Associações Comerciais e Câmara de Dirigentes Lojistas do Médio Piracicaba, apresentaram ao coordenador do Movimento Nova 381 e presidente da Fiemg Vale do Aço, Luciano Araújo, o Plano Regional de Desenvolvimento do Médio Piracicaba. O documento foi construído pelas entidades visando melhorias e os impactos positivos da região, a partir da duplicação da rodovia. Uma cópia também deve ser repassada a outros políticos, com assinaturas de prefeitos e lideranças regionais. Bela iniciativa.

Alívio
No mês de outubro, Minas Gerais teve uma arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), na casa de R$57.595 milhões, o que demonstra um aumento de 10,30% em relação ao mês de setembro deste ano, que teve uma arrecadação de R$52.218 milhões. A informação é da Associação dos Municípios Mineradores (Amig). Segundo a entidade, parte deste aumento pode ser explicada pela não dedução do transporte, como propõe a MP 789/2017, que trata da alteração a legislação da CFEM, em vigor desde o dia 25 julho deste ano. As mudanças na legislação que trata dos royaltys pode ser a salvação de vários municípios da região. Além de justiça às cidades, que ficam com a maior parte dos ônus referentes à atividade mineral.

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS