Você está em Opinião / EDITORIAL /
Editorial
29 de setembro de 2017
Deliberativo
João Monlevade está prestes a retomar o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico, próximo passo do programa Pró-Município, que prevê ações desenvolvimentistas na cidade para os próximos dez anos. A inciativa da Acimon, em parceria com os setores públicos e privados da cidade é tripartida: Envolve a Prefeitura e a Câmara Municipal, o empresariado e a sociedade civil organizada, através de Ong’s, clubes de serviços e entidades. Por isso, tem tudo para dar certo, desde que o Conselho formado por representantes dos três grupos, seja deliberativo. Ou seja, tenha autonomia para executar suas próprias decisões. Do contrário, é melhor que o Pró-Município pare por aqui.
Outras propostas para debater e desenvolver João Monlevade foram inviabilizadas no passado, justamente, porque emperraram na burocracia de órgãos públicos ou na vaidade de grupos políticos. Em se tratando de desenvolvimento econômico municipal e do bem comum, não cabe aqui a vaidade política do “fazer de conta que ouço, mas só executo o que seja interessante para meu grupo”.
João Monlevade precisa deixar de ser uma “roça grande”, com pensamento limitado e sem visão de futuro. Está na hora de abraçar a oportunidade da consultoria da Federaminas, planejar e colocar em prática ações que vão mudar a cidade para melhor. E tudo começa pela eleição de um conselho econômico deliberativo, formado por pessoas que sejam políticas, mas apartidárias e comprometidas com o real desenvolvimento do município em diversas áreas. Se não, é melhor nem começar.
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS