Você está em Opinião / COXIA /
Coxia
28 de julho de 2017
Coxia 2321
Prisões

Polícia Civil faz devassa na Câmara Municipal de Santa Bárbara e prende, além do presidente, vereadores, assessores e empresário. Chama a atenção a gravidade dos fatos: dos 11 vereadores atuais, 9 são investigados. Além disso, segundo a Polícia, fraudes lesaram os cofres públicos em mais de R$600 mil, entre os anos de 2013 até agora. E a gente pensando que Brasília fosse longe...

Grande Aparato

A Polícia Civil chegou à cidade, com quase 100 policiais, diversas viaturas e até um helicóptero. No fim da tarde de ontem, os políticos da cidade envolvidos, foram conduzidos de viatura para o presídio da cidade vizinha de Barão de Cocais. Enquanto isso, o povo aplaudia. Mas teve gente que perguntou: precisava disso tudo mesmo?

Descentralização

Superintendente estadual das Vigilâncias em Saúde (Visa) disse que descentralização do setor da Gerência Regional só depois que unidade local estiver devidamente estruturada. Com a separação, todo o serviço de fiscalização em saúde da cidade, ficaria a cargo da Visa de João Monlevade. Inclusive, o poder de liberar alvarás ou interditar serviços.

Especulação

O que se especula nos bastidores é que há uma pressão e um desejo forte, inclusive por parte do Hospital Margarida, para que a descentralização da Visa ocorra o mais rápido possível. Por que será, hein?

Região

Os deputados estaduais Nozinho (PDT) e Tito Torres (PSDB), apesar de serem de grupos políticos distintos, estão juntos em prol da região. Os dois até dividem a bancada em algumas comissões. Ponto positivo para o Médio Piracicaba, que tem dois parlamentares defendendo os interesses regionais. É bom lembrar que daqui a um ano, começam as campanhas eleitorais, época em que “paraquedistas” chegam aos montes por aqui. Não se pode esquecer de quem tem verdadeiro compromisso com os municípios.

Mauri

Maior liderança política da região, Mauri Torres, foi citado em delação de Marcos Valério, segundo reportagem do Jornal o Tempo. A denúncia é grave e merece ser apurada e provada, já que o Supremo Tribunal Federal ainda não homologou o material entregue pelo empresário. A Notícia, na semana passada, tocou no assunto em seu editorial e mantém o pensamento: a vida pública e política de Mauri é um legado inegável.  No entanto, se ficar provada sua inocência, será um atestado de retidão à sua carreira política. Do contrário, complica sua imagem diante de tudo o que ele fez ao longo de sua trajetória. Justamente, quando ele está prestes a se aposentar. É aguardar os fatos
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS