Você está em Opinião / PONTO E VÍRGULA /
Ponto e Vírgula
3 de março de 2017
Carta à prefeita Simone
Erivelton Braz

Prezada prefeita, bom dia

Escrevo esta carta num pós-carnaval em que João Monlevade, mais uma vez, ficou triste, sem a folia. Não esperava que a senhora, num primeiro mandato, encarasse a festa. Até por que, como dizem, apesar do caixa da prefeitura estar em ordem, a maré não está para peixe. Mas chamou minha atenção que cidades menores e com rombos milionários em suas contas, tenham tido condições de fazer festas bonitas para o povo. Alvinópolis por exemplo. O seu colega “Galo Índio”, usando de criatividade e apostando no carnaval de blocos, fez um evento de sucesso. Em Barão de Cocais, outro colega de Amepi, Décio Dentista, disse que conseguiu até economizar R$200 mil na festa. O mesmo vale para Wilber José, que em seu segundo mandato, tem aumentado a sua popularidade com ações simples, mas eficazes. O seu assessor de comunicação e o encarregado Walter Célio, estiveram no Bellafolia e, se a senhora quiser saber, eles podem te contar o que viram por lá. Aliás, outro colega seu, o vereador Guilherme Nasser, levou a família e os filhos pequenos para brincar na matinê de Bela Vista. Ele também pode te contar o que viu por lá. Por que João Monlevade não teve ao menos uma matinê, na bonita e recém reformada Praça 7, nas tardes de domingo e terça? Sabia que os artistas que encantaram crianças na cidade vizinha são daqui? Pergunte ao Guilherme, ao Will Jony, ao Walter Célio. Eles podem te dar os detalhes. Quem sabe no ano que vem, né?
Mas essa carta, prefeita, não é apenas para te amolar. Mas para alertá-la e sem cobrar qualquer consultoria, que é preciso muito pouco para melhorar a sua avaliação popular. O primeiro passo, sem dúvida, é lembrar-se de quem é prefeita é a senhora. E não o seu marido. Não se esqueça de que as decisões importantes do seu governo devem ser tomadas no seu gabinete e não na sala de sua casa ou nos estúdios da rádio onde a senhora trabalhou por anos. O segundo passo, prefeita, é não se esquecer nunca de que a senhora quase perdeu a eleição por só 126 votos e que o número de brancos e nulos foi recorde. Portanto, tem muito mais gente contrária à senhora do que a favor. Daí a importância de melhorar a sua imagem, para que a senhora conquiste maior apoio da população e ganhe mais confiança, para fazer uma política diferente. Mas só se a senhora quiser. Outra dica: pare de acreditar em bajuladores. Muito menos, naqueles que pedem a benção diuturnamente ao seu marido. A senhora sabe de quem falo. Olhe para a cidade como um todo e deixe o discurso demagogo, herdado do seu marido, de governar para os mais pobres. Sem dúvidas, é importante olhar para os mais necessitados. Mas é preciso mais que palavras para fazer isso. Afinal, o que a senhora já fez para os mais pobres? Não vale falar de manutenção da tarifa social a R$1. Por que essa linha dá um lucro danado e seria um pecado aumentá-la. E outra dica importante para a senhora mostrar a que veio quando eleita: assuma o posto de prefeita, tome as rédeas do governo para si, chame a responsabilidade. Apareça nas ações certas, mantenha a cidade limpa, melhore o atendimento nos postos de saúde. Pare com esse absurdo que são as gratificações a afilhados políticos do seu marido. Por que eu duvido que elas tenham sido ideia sua. Aproveite e reveja o seu secretariado, repense seus cargos de chefia: eles têm mesmo capacidade e competência para estar ali? Ou só estão por agrado mesmo, em retribuição ao puxa-saquismo de anos? Assuma o posto, prefeita. A senhora pode fazer uma Monlevade melhor. Eu acredito na senhora. Basta a senhora acreditar também. Abraços.

Erivelton Braz é editor do A Notícia
LEIA TAMBÉM
 
Publicidade
31 3851-1791
Av. Rodrigues Alves, nº 78, República
João Monlevade/MG
NOTÍCIAS
OPINIÃO
OPINIÃO
SOCIAIS