Desde 1984
Erivelton Braz
29 de novembro de 2019
Por mais políticas culturais
O jornalista, fotógrafo, poeta e ativista cultural, Wir Caetano, recusou receber a Medalha do Mérito Cultural Leonardo Diniz Dias, oferecida pela Câmara Municipal de João Monlevade. Ele agradeceu a indicação, mas declarou que a cidade merece mais políticas públicas de cultura e menos diplomas. Alguns taxaram a decisão de Wir como desrespeitosa e deselegante. Não pensei assim, mas respeito os que pensam o contrário.
Pelo sim, pelo não, falta em Monlevade mais investimento e ações que valorizem a cultura. Tudo bem que a cidade tem uma Fundação Casa de Cultura, tem muitos artistas plásticos, músicos, poetas, compositores e escritores. Mas falta uma liga, uma articulação para reunir toda essa gente em ações de incentivo à produção cultural. Falta mais articulação entre a classe, até mesmo, para conversar com o poder público e propor ações conjuntas em defesa da arte local. Prova dessa falta de diálogo conjunto é que o prédio da Escola Estadual Santana, um dos patrimônios do município, apodrece a olhos vistos e nada é feito a respeito.
Através do Comitê Permanente de Desenvolvimento Social de João Monlevade (CP10), da Associação Comercial, Industrial e de Prestação de Serviços (Acimon), foi lançado um Censo Cultural, para catalogar, reunir e identificar os artistas da cidade. A partir daí, propor ações coletivas em prol do segmento. A iniciativa é necessária para valorizar a classe e tem tudo para dar frutos num futuro próximo.
João Monlevade precisa valorizar mais a classe artística. Um seminário local com debates amplos com toda a classe, a partir da realização de uma Semana Municipal de Cultura debate aberto para implantar um Museu na Cidade, efetiva transformação do Parque do Areão em uma área de eventos culturais concurso literário, concurso de bandas, shows gratuitos e envolvimento de estudantes, seriam algumas das muitas possibilidades para alavancar o setor.
Nesta semana, aconteceu a 6ª edição do Festival Marmotas de Artes integradas e a V Semana da Música da Daniel Bahia Escola de Música, iniciativas louváveis e que movimentaram o cenário local. Ações como essas mantêm acesas as esperanças de que muito pode ser feito em prol da cultura em João Monlevade. Ano que vem é ano eleitoral e vale muito ler as propostas dos candidatos para o setor e, posteriormente, cobrar a execução delas. A cultura em João Monlevade merece ir bem mais além.

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação