Desde 1984
Erivelton Braz
8 de novembro de 2019
Vereador nunca se elegeu prefeito
Um tabu a ser quebrado em João Monlevade: Nunca na história do município, um ex-vereador se elegeu prefeito na cidade. Desde a emancipação em 1964, nenhum dos que comandaram a Prefeitura atuou antes no Legislativo: Intendente Bolivar (1964), Wilson Alvarenga (1965-1966), Germin Loureiro (1967-1970), Antônio Gonçalves (1971-1972), Lúcio Flávio de Souza Mesquita (1973-1976), Antônio Gonçalves (1977-1982), Germin Loureiro (1983-1988), Leonardo Diniz Dias (1989-1992), Germin Loureiro (1993-1996), Laércio Ribeiro (1997-2000), Carlos Moreira (2001-2008 – 1º reeleito), Gustavo Prandini (2009-2012), Teófilo Torres (2013-2016) e Simone Carvalho (2017-2020).
O máximo que já ocorreu, foi um vice-prefeito ter exercido a função de vereador na Câmara Municipal antes de chegar ao Executivo. Como é o caso de Gentil Bicalho, vice-prefeito entre 1997-2000, Wilson Bastiri (2009-2012), Railton Franklin (2013-2016) e Fabrício Lopes (2017-2020). Carlos Roberto Lopes, o Pastor Carlinhos (MDB), foi também vice-prefeito na cidade de Raposos (MG).
Em João Monlevade, também apenas um ex-prefeito ocupou uma cadeira na Câmara. Leonardo Diniz Dias (PT) foi eleito vereador em 1997 e ficou no cargo até falecer em 2000, antes de terminar o mandato. Antônio Gonçalves também disputou uma eleição para vereador mas não foi eleito. Nenhum outro ex-prefeito tentou a eleição para o Legislativo.
Para as próximas eleições, a atual legislatura da Câmara conta com dois pré-candidatos declarados: Belmar Diniz (PT) e Djalma Bastos (PSD). Guilherme Nasser (PSDB) e Geraldo Antônio Marcelino, o Tonhão (Cidadania), também já manifestaram interesse, porém, sem formalização oficial. Os ex-vereadores Fabrício Lopes e Railton Fraklin também estão no páreo. Será que o tabu será quebrado no próximo ano?

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação