Desde 1984
Editorial
8 de novembro de 2019
Fim de municípios
O presidente Jair Bolsonaro quer extinguir municípios brasileiros que não conseguem se manter sozinhos e que tenham população de até 5 mil pessoas. A proposta está num pacote do mandatário do país, em busca de soluções econômicas. A questão é polêmica. Minas Gerais, por exemplo, perderia 211 cidades e o Médio Piracicaba, uma. A pequena Sem-Peixe, com apenas 2.742 habitantes, tem menos gente que o bairro Planalto, em João Monlevade, por exemplo. O município, emancipado de Dom Silvério em 1995, pode voltar a integrá-lo. Aliás, Dom Silvério e outras cidades da região, como São José do Goiabal, escaparam por pouco da degola bolsonarista.
Se por um lado o governo defende menos gastos para a manutenção de Prefeituras, Câmaras e servidores públicos, prefeitos, obviamente, rechaçam a ideia. Domingos Paiva, de Sem-Peixe, declarou que a proposta é um retrocesso e fere a municipalidade. A decisão, como sempre, vai depender dos deputados federais. Como é uma proposta política e ano que vem é ano eleitoral, a medida precisa ser definida o quanto antes.
Enquanto isso, o Brasil deixa de lado propostas que, de fato, trariam avanços, como a Reforma Tributária, garantindo a redução na tributação sobre consumo e produção e taxando as altas rendas e patrimônio de bilionários e milionários. Assim, com certeza, até os municípios menores lucrariam e talvez não precisassem ser riscados do mapa.