Desde 1984
Editorial
9 de agosto de 2019
Governo e Câmara
Tramitam na Câmara de João Monlevade cerca de 10 projetos que ainda não foram ao plenário para votação. Pelo menos três são de interesse do governo, porque cumprem plano de campanha eleitoral: isenção da taxa mínima de água, criação da guarda municipal e o empréstimo de R$3 milhões com o Banco de Desenvolvimento do Estado de Minas Gerais (BDMG) para asfaltamento e obras de calçamentos diversos.
O assunto gerou muita repercussão nesta semana. Principalmente, porque antes mesmo de responder questionamentos da comissão de Finanças e Orçamento, a prefeita usou as redes sociais para “culpar” a comissão por deixar 15 ruas sem melhorias, caso o projeto não seja aprovado. A resposta veio na tribuna da casa com Pastor Carlinhos, Guilherme Nasser e Belmar Diniz. Esse último, foi taxativo, ao chamar a prefeita de covarde, por ela ter colocado na comissão a responsabilidade pela execução dos serviços.
Se quiser a aprovação das medidas, de forma tranquila, a prefeita Simone Carvalho vai precisar conversar mais com os parlamentares e ter mais habilidade política. É péssimo para um administrador usar rede social para fazer pressão em quem quer que seja. Matéria na página 5 desta edição apresenta, justamente, que o governo Simone tem três assessorias de comunicação. E, ainda assim, está precisando melhorar, e muito, a sua comunicação e, principalmente, a relação com os vereadores.