Coxia
22 de março de 2019

Coxia 2485

Desistência
A desistência da pré-candidatura do médico Railton Franklin a prefeito de João Monlevade, anunciada nessa semana, pegou os aliados, principalmente, seus aliados. Railton alegou questões familiares para a desistência, já que, segundo ele, sua esposa e filhas não concordavam com a candidatura a prefeito e aumentaram a pressão para ele ficar fora do pleito.

No ar
O que chama a atenção nos bastidores é a demora para esse posicionamento mais radical da família, já que Railton se coloca como pré-candidato desde o término das eleições de 2016, quando perdeu por apenas 126 votos. Era hora dele aproveitar, mas abriu mão da oportunidade em respeito à família. Também, chama a atenção o fato de já terem se passado dois anos e meio de pré-campanha e houve tempo mais que hábil para se resolver essa pendência, lá atrás. Há quem diga que existam mais motivos, mantidos em sigilo.

Enquadrado
O vereador Guilherme Nasser “enquadrou” o líder do Movimento de Moradia Popular, Antônio Contrapino. Ele lembrou que o líder trabalhou por quatro anos na Prefeitura, no governo Prandini, e nunca fez nada para resolver a demanda, que se arrasta desde 2003. Contrapino nada disse. Quem cala, consente.

Indissociável
O presidente da Savita, entidade que cuida do Recreativo, segundo a Prefeitura, é Antônio Carlos de Oliveira, o Teném, morador da Vila Tanque e amigo próximo do vice-prefeito, Fabrício Lopes. Com a possível implantação de um Núcleo da Fundação Crê-Ser, comandada pela mãe de Fabrício, Helenita Lopes, e ainda morando em frente ao clube, fica difícil dissociar Fabrício Lopes do projeto de revitalização do clube que levantou polêmica na Vila...

Curso
A Câmara de João Monlevade gastou quase R$6 mil em um treinamento de cinco dias para duas servidoras, ministrado pelo provedor do Hospital, José Roberto. Na Autorização de Empenho, documento feito para que se efetue o pagamento, consta como "Qualificação de Servidores" a justificativa do gasto. Ilegal? Claro que não. Mas em tempos em que se reclama de falta de recursos para tudo e com uma grave crise financeira assustando a todos, é, no mínimo, inusitado.

Sevor liberado
A melhor notícia da semana foi o credenciamento feito pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais ao Serviço Voluntário de Resgate (Sevor) de João Monlevade, o primeiro do Estado. O credenciamento atende as exigências da portaria 33/2018 e libera a entidade para atuar no atendimento pré-hospitalar na região, com validade até 2021. Justiça feita e notícia para se comemorar por toda a população.

Barragem
O temor que ronda as barragens da região continua, depois das tragédias de Mariana e, mais recentemente, de Brumadinho. A Justiça determinou que a mineradora Vale suspenda o lançamento de rejeitos em dois diques da barragem de Pontal, da Mina Cauê, em Itabira, uma das maiores do Estado. Por um lado, uma sensata precaução, pensando nas milhares de vidas que circundam as barragens. Por outro, o temor econômico, com as empresas operando sem a força total. Situação delicada.

Mudança
A transferência da Policlínica Central, do bairro José Elói, para o antigo prédio do Pronto Atendimento (PA), no Belmonte, para a realização de reformas, continua um ponto de interrogação. A Prefeitura ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto e o que foi dito até agora não passam de especulações. O Executivo também salienta que quando a mudança for feita, será para se iniciar a obra de reforma física do prédio, que é necessária e há muito tempo, solicitada pela comunidade e por profissionais do setor. Mais polêmicas por aí...

Apae
Ao contrário do que foi publicado na última edição do A Notícia, através de informações fornecidas por uma professora da Apae, o tema deste ano da celebração do Dia Internacional da Síndrome de Down, comemorado ontem (21), é o " Ninguém fica para trás", e não o "Porque o amor não conta cromossomos", que foi utilizado no ano passado. Correção feita.