Ponto e Vírgula
15 de março de 2019

Jogada de mestre

Maior estrategista político da região, Mauri Torres surpreendeu em mais uma jogada de mestre. Ao afastar Carlos Moreira da Rádio Cultura, delegando o projeto da frequência FM a outra pessoa, o dono da emissora resolveu várias demandas numa cartada só. Em respeito às décadas de convivência, relações de política e de poder, não ficaria bem a Mauri descartar Carlos Moreira para fora do baralho, assim, do nada. Ele esperou o momento certo para fazê-lo.
Claro que Carlos Moreira não gostou de deixar a emissora que comandou por anos e o projetou para a vida pública. Ninguém gosta de sair do jogo. Mas, como fiel escudeiro, aceitou a proposta de levar seu programa e seus ouvintes, com o desafio de alavancar a quase desconhecida Global FM. Mesmo assim, ainda que não perguntados, seus interlocutores afirmaram que não houve rusgas entre os dois e que o grupo político segue unido como sempre. Onde há fumaça há fogo.
A Rádio Cultura AM vinha amargando prejuízos há tempos e chega ao fim no próximo mês, quando passa a retransmitir o sinal da Líder FM. A nova emissora vai ser instalada no prédio mais conhecido do bairro Satélite, na Praça Minas Gerais. É o fim de um ciclo, iniciado há 26 anos, quando o então deputado Mauri Torres, em seu primeiro mandato, adquiriu a emissora e a rebatizou de Cultura, homenageando a rádio dos áureos tempos da Belgo.
A partir da década de 1990, nasceu o maior comunicador de rádio da região, que deixou os microfones apenas para assumir a Prefeitura por dois mandatos. Carlos Moreira voltou a eles no segundo ano do governo Gustavo Prandini e colaborou muito para a eleição de Teófilo Torres e, depois, da própria esposa, Simone Carvalho, devido a seu trabalho de comunicação.
E talvez, justamente pela eleição de Simone, é que a luz amarela tenha acendido. Depois que assumiu a presidência do Tribunal de Contas do Estado, não pegava bem para Mauri Torres ter como funcionário e principal estrela da sua emissora, um ex-prefeito condenado pela justiça e que não deixa de dar palpites no governo da esposa. Fora os rumores de encontros de secretários, assessores e vereadores com o ex-prefeito nas dependências da rádio. Mauri alocou Moreira na rádio educativa pertencente à Fundação Germin Loureiro e que tem ligações com o seu grupo político, sem qualquer constrangimento. Mas sem brigar, bem a seu estilo. "Muda o dial".
Agora, a história será escrita pelo empresário da comunicação da Zona da Mata, Leandro Torres. Ele, que é parente distante de Mauri, foi convidado para desenvolver o projeto da “Cultura FM”, rebatizada de Rádio Líder. O mesmo nome de outras emissoras de sucesso em Viçosa e Ponte Nova, dirigidas por ele. A Líder chega prometendo mudanças e com o desafio de conquistar a audiência da forte Rádio Alternativa 1. Carlos Moreira vai ter que se esforçar muito para acompanhar as mudanças na frequência FM. Vamos ouvir. “Boa sorte, boa sorte”.

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação