Desde 1984
Coxia
22 de fevereiro de 2019
Coxia 2478
Prestígio I
A posse do ex-deputado e ex-presidente da Assembleia, Mauri Torres, como presidente do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), na última segunda-feira (18), foi marcada pela presença de várias autoridades e lideranças políticas estaduais e da região. Prestígio em alta, de quem foi eleito por seis mandatos, ajudou a eleger prefeitos em Monlevade e na região e se tornou um dos mais importantes nomes da política do estado.

Prestígio II
Porém, a prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho, ficou de fora da posse de Mauri Torres. Neste ano, ela também não participou da posse do deputado estadual reeleito, Tito Torres, filho de Mauri. Os dois são os maiores nomes do grupo político do qual ela faz parte.

Novo centro
A Prefeitura de João Monlevade, através do Settran, apontou mudanças na ligação de avenidas com o projeto Novo Centro. Mas uma das questões mais pontuais do projeto ainda não vieram à tona: como e quando a administração vai garantir mais acessibilidade nas calçadas da cidade? Além disso, é preciso melhorar as vagas destinadas aos portadores de deficiência motora, já que muitas dessas ficam longe de rampas e de locais adequados.

Corte no aluguel ...
A Prefeitura de Bela Vista de Minas publicou várias portarias dias atrás pelas quais transfere setores da administração, que funcionavam em imóveis alugados, para a sede do Executivo. O objetivo é reduzir os gastos públicos, já que uma "grave crise econômica assola o município", como consta no texto das portarias. Com a iniciativa, cerca de seis setores foram para a sede da Prefeitura. Pelo visto, o negócio é cortar gastos onde é possível e, sendo assim, fugir do temeroso aluguel, sonho de todo brasileiro. Tempos bicudos.
... e na folia
São Domingos do Prata não terá sua tradicional festa de Carnaval neste ano. De acordo com o prefeito Alfredo Pereira (PR), o motivo é a crise financeira pela qual passa o município. A toada é a mesma de outras cidades. Uma pena, pois o Carnaval do Prata foi muito procurado durante muitos anos, sendo prestigiado por foliões de todo o estado. Diversos imóveis eram alugados por grupos de jovens e a festa movimentava a economia local. São as garras da crise.

Milhões
Com o Carnaval, Minas Gerais movimentará R$615,5 milhões em 2019. É o terceiro estado do país em arrecadação da folia. Fica à frente da Bahia, que arrecadará R$561,9 milhões e atrás apenas do Rio de Janeiro, campeão em faturamento no país com R$2,1 bilhões e de São Paulo, com R$1,9 bilhão. Enquanto isso, prefeitos da região alegam crise para não investirem na festa. Está mais que provado: Carnaval é investimento social, cultural e econômico. Só não vê quem não quer.

Prova de fogo
O novo presidente da Câmara, Leles Pontes (PRB), vai precisar demonstrar habilidade para driblar a necessidade de contratar cargos para o Legislativo. Projeto de Lei, de autoria da Mesa Diretora, prevê até alterações em planos de cargos e salários para resolver demanda de assessora. Em tempos de crise e de dificuldade financeira, é oportunidade de Leles mostrar habilidade e contornar uma situação que o colocaria em maus lençóis.

Chinelo e...
Em visita recente a um cemitério de João Monlevade, a reportagem do A Notícia flagrou um fato inusitado e grave. Um servidor do local trabalhava de bermuda e chinelos de dedo, assim mesmo, como as pessoas costumam preparar o churrasco de domingo. Nada de botinas, calças e, muito menos, equipamentos de proteção individual.
... bermuda
O assunto também foi abordado na Câmara Municipal nesta semana e gerou debates entre alguns vereadores, que criticaram a Prefeitura por negligenciar um tema tão importante, que é a segurança do trabalhador. Além da questão de segurança pessoal, há ainda a questão estética, pois a imagem que se passa é de desorganização e de falta de profissionalismo em órgãos públicos, ainda mais em um cemitério. Vamos deixar os chinelos e a bermuda para o churrasco, gente