Desde 1984
Editorial
15 de fevereiro de 2019
Folia na crise
A crise financeira que assola os municípios mineiros, mais precisamente os da região do Médio Piracicaba, afetou, também, um dos eventos mais tradicionais, populares e esperados do país: o Carnaval.
A festa do momo foi, notadamente, prejudicada pela falta de recursos das prefeituras da região, muito afetadas pela escassez de repasses do governo do estado. Mesmo com a sinalização de que vai honrar seus compromissos e, aos poucos, quitar as dívidas com os municípios e colocar a casa em ordem, o governador Romeu Zema (Novo) ainda precisará de muito esforço e capacidade de gestão para resolver de vez o problema. Só a João Monlevade o estado deve cerca de R$24 milhões e as mãos ficam atadas para qualquer investimento, que dirá em festas. Algumas cidades que tradicionalmente realizam a festa não a farão em 2019 e, algumas, diminuíram as atrações e até os dias do evento. Como exemplo, a vizinha São Gonçalo, que contará com a folia apenas no sábado (2) e no domingo (3).
Resta ao foliões da região usarem a criatividade e colocar o amor ao Carnaval em primeiro plano, fugindo da dependência ao poder público. Assim como bem faz há décadas o bloco Sapeca Iaiá, do bairro Centro Industrial, em João Monlevade, que, ainda sem a ajuda do poder público, vai à rua e diverte não só seu bairro e região, mas os foliões de toda a cidade e até de fora. Mesmo em tempos bicudos, a folia é bem vinda e inspiração não falta, diante dos acontecimentos políticos em nosso Brasil. Dá pra rir, em vez de chorar.