Coxia
14 de dezembro de 2018

Coxia 2461

Sequestro

O governador Fernando Pimentel (PT) vem se apropriando indevidamente de recursos de impostos que são direito dos municípios. São mais de R$11 bilhões sequestrados pelo governo do estado, cuja falta, quebrou a maioria das prefeituras. A João Monlevade, são devidos R$23 milhões. A prefeita Simone Carvalho (PSDB) decretou estado de contenção financeira. Situação difícil para o município e vereadores cobram cortes em gratificações de servidores comissionados.
Clima

Se alguém pensou em “clima de guerra” entre o vereador Revetrie Teixeira (MDB) e a secretária de Saúde, Andrea Peixoto, durante a audiência públcia na última segunda (10), ficou decepcionado. O vereador surpreendeu pelo tom moderado, bem diferente do usado por ele na tribuna. Acertou o vereador em evitar mais polêmica.

“Tropa de choque”

O receio era tanto que, para blindar a secretária, o governo municipal enviou cerca de 100 funcionários comissionados, mesmo os que nada tinham a ver com a área de saúde, em pleno horário do expediente, para acompanhar a audiência. No fundo, eles ficaram bem sem graça com a postura dos vereadores na condução dos trabalhos. Vitória do bom senso e da boa política

Ainda lá

Se bem que a audiência poderia ter sido dispensada, se a secretária de
Saúde enviasse as respostas aos questionamentos dos parlamentares, sempre atentos às demandas da população. Por outro lado, foi o reencontro da secretária de Saúde e os parlamentares, mostrando que cada um tem feito o seu trabalho e está preocupado com a situação da saúde em Monlevade.

Não volta

Podem anotar aí: pelo visto, o Centro de Referência em Saúde Bucal (Cresb) não vai ser reaberto. A secretária de Saúde não garantiu o seu retorno após as reformas básicas, realizadas no prédio da unidade, e os atendimentos, segundo ela mesmo, estão sendo sucesso nos postos de bairros, embora a região central tenha ficado desguarnecida. É esperar para ver.

Paralisa

Apesar de não oficial, circula a informação de que a Prefeitura de João Monlevade deva fechar as portas no dia 21 de dezembro e retornando aos trabalhos apenas no ano que vem. Seriam mantidos apenas os serviços básicos à população. “Não é uma má ideia”, respondeu o assessor de Comunicação Will Jony Gomes Nogueira ao questionamento do A Notícia. Porém, segundo ele, a decisão ainda não está definida.

Desperdício

O Departamento de Águas e Esgotos (DAE) realizou importantes obras em João Monlevade para melhorar o abastecimento a diversos bairros. Água é vida e não pode faltar. Agora, o combate permanente deve ser ao desperdício. O monlevadense não perdeu o hábito de “aguar” calçadas, prática que precisa e deve ser revista.

Poucas mudanças

O vereador Leles Pontes (PRB), presidente eleito para comandar a Câmara Municipal de João Monlevade, deve fazer poucas mudanças nos cargos de confiança do Legislativo, ao contrário do que queria a chapa 2, que foi derrotada. Pelo que tudo indica, a jornalista Maria Tereza Bicalho deve continuar à frente da Comunicação. Outra escolha da mesa é que a direção da Câmara será assumida por Rosemeire Magalhães, funcionária de carreira e também irmã do vereador Cláudio Cebolinha (PTB), eleito como 1º secretário. O presidente eleito garantiu na tribuna, a permanência do procurador jurídico, Silvan Pelágio Domingues.