Interesse Público
30 de novembro de 2018

Você está satisfeito?

Em 25 anos pesquisando lideranças e empresas prestadoras de serviços (como escritórios de contabilidade e advocacia, consultorias e bancos de investimento), a professora de gestão Laura Empson ouviu diversas pessoas brilhantes, bem-sucedidas e aparentemente confiantes se descreverem como inseguras.
De acordo com a pesquisadora, em reportagem divulgada pela BBC, as dúvidas dos profissionais sobre suas capacidades acontecem no decorrer da vida – normalmente, na infância, ao passar por experiências de insegurança psicológica, financeira ou física. O que colabora para a insegurança desses profissionais são os sistemas de avaliação e recompensa dentro das empresas, que são competitivas e pouco transparentes.
Em termos de insatisfação, a pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva e pelo grupo LTM (Loyalty & Trade Management) aponta que 56% dos trabalhadores estão insatisfeitos com sua ocupação atual e desejam mudar de emprego. O especialista em carreira, Marco Viotti, afirma que essa insatisfação é decorrente do perfil da nova geração, que não se contenta mais em trabalhar por obrigação e por dinheiro. Eles querem ter e querem ser líderes inspiradores, fazer a diferença, afirma Viotti.
Ambos os problemas, insatisfação e insegurança, não são resolvidos simplesmente com a mudança de emprego. De acordo com Viotti, é necessário que o profissional eleve seu nível de autoconhecimento: 1) descobrindo os pontos fortes das atividades desenvolvidas 2) envolvendo em tarefas e ações que exijam o máximo e: 3) definindo objetivos de longo, médio e curto prazo, para ampliar o foco no status final que o profissional deseja.
No que diz respeito à insegurança, Empson recomenda a você, primeiramente, reconhecer seus gatilhos: prestar atenção à maneira pela qual a empresa está tentando manipular seu comportamento e como você reage. Segundo, defina o sucesso com suas próprias medidas, e não dos outros. O Núcleo Brasileiro de Estágios ouviu 36.880 jovens de todo o país em abril deste ano, em que 60% responderam que ter sucesso profissional é “fazer sempre o melhor, sem passar por cima de ninguém”. Na sequência, 19,45% disseram: “não existe um sucesso profissional eterno, é sempre preciso ir atrás dele”.
Portanto, antes de iniciar as buscas por oportunidades de trabalho, acredito ser importante conversarmos com amigos e profissionais experientes buscarmos informações e opiniões no LinkedIn sobre as características das carreiras e empresas e entender que as conquistas ocorrerão ao longo da trajetória. Constantemente, temos que nos desafiar e acreditar em nosso padrão contínuo de sucesso, aprimorando a paciência, sendo humildes e proativos. Assim, poderemos nos questionar se estamos satisfeitos e seguros em nosso ambiente profissional.

() Marcos Vinícius Ferreira é monlevadense, administrador público e diretor na Novos Governos Consultoria e Assessoria.