Coxia
30 de novembro de 2018

Coxia 2457

Agenda polêmica

O programa de marcação de consultas Agenda Aberta, implantado pela Prefeitura de João Monlevade, continua gerando reclamações da população e sendo questionado por vereadores na Câmara Municipal. O problema é que as longas filas para marcar consultas podem ter diminuído, mas a demora para a realização das consultas, que levam até oito meses para acontecer, é que tem provocado polêmica. Mais um problema a ser resolvido pela Secretaria de Saúde, que, definitivamente, não pode reclamar de tédio em João Monlevade.

Sem comentários

O chefe da fisioterapia municipal, Paulo Roberto Reis, não responde mais pelo serviço complementar da Secretaria de Saúde. Ele entregou o cargo na última semana, que passou a ser acumulado pela secretária adjunta, Elisângela Almeida. Procurado, Paulo Roberto não quis comentar o assunto.

Resistência

A Associação Monlevadense de Afrodescendentes (AMAD) celebrou o mês da consciência negra com uma exposição na Câmara Municipal. As fotos trazem servidores públicos e populares negros, devidamente contextualizados com frases de efeito sobre a cultura e resistência negras. Recado muito bem dado, em tempos de intolerância.

Animais

O excesso de animais de grande porte, como cavalos, soltos pelas ruas de João Monlevade, têm pautado debates na Câmara Municipal. Para vários vereadores algo deve ser feito, com urgência, antes que sejam provocados graves acidentes em vias de grande movimento. Algumas soluções apresentadas são o aumento das multas aos proprietários e, em caso de reincidência, o leilão dos animais. Polêmica e briga boa a se comprar, basta coragem e firmeza dos poderes públicos.

Toma lá...

A transferência do vigia da Secretaria Municipal de Saúde e também vereador, Revetrie Teixeira (MDB), para a sede do Cras, no Novo Cruzeiro, depois de mais de 15 anos trabalhando no setor de saúde, traz de volta a velha história do esvaziamento político promovido pelo grupo do ex-prefeito Carlos Moreira aos seus antigos aliados e, depois, desafetos.

Dá cá

O fato já ocorreu nos últimos anos com outros ex-vereadores, que também atuaram na área de saúde, como Telles Guimarães e Doró da Saúde, que foram minados e perderam as eleições. É, pelo visto, reza dentro do grupo a cartilha de que ou se obedece o chefe ou se dá adeus ao apadrinhamento do mesmo. É o "toma lá dá cá" da política monlevadense.

Aceita...

Alguns vereadores parecem ainda não ter entendido que se tornaram figuras públicas e, assim sendo, estão sujeitos a críticas e elogios da população. O parlamentar Fábio da Silva (PP) desabafou, nesta semana, sobre as críticas que recebeu de internautas nas redes sociais dias atrás.

Que dói menos

Em resposta, o colega Belmar Diniz (PT) sugeriu que os vereadores não se irritem com as críticas da população, mas com a falta de respeito da própria administração com os edis, citando exemplos recentes da falta de sintonia entre membros do Executivo e do Legislativo. Aceitar críticas faz parte da democracia e agentes políticos têm de ter a plena noção desse fato, já que entraram para a vida pública.


Educação

Escolas públicas de João Monlevade, entre essas, Dr. Geraldo Parreiras e Rúmia Maluf, realizaram feiras culturais na última semana, que foram sucesso de público e de crítica. A educação é a melhor forma de combater as desigualdades e dar oportunidade de vida melhor aos estudantes. Hoje (30), a Escola Estadual Eugênia Sharlé, junto ao Rotary e voluntários da ArcelorMittal, fazem evento na Praça 7, em apoio ao projeto Nova 381, que defende as obras de duplicação da rodovia.