Ponto e Vírgula
9 de novembro de 2018

Novos ares para Simone

Em pouco mais de um mês, quando 2018 acabar, o governo da prefeita Simone Carvalho (PSDB) completará dois anos. Metade do mandato terá ido embora e é inevitável que se faça uma reflexão de tudo o que se passou. Bem melhor que vangloriar os acertos, é hora de fazer uma avaliação dos erros cometidos e analisar o que poderia ter sido feito. O tempo, assim como o leite derramado, não volta atrás. E o momento político delicado do estado, do país e do mundo, exige uma postura crítica de quem tem desejo de fazer o melhor para a população.
Simone Carvalho precisa fazer mudanças em sua equipe se quiser obter resultados diferentes dos conseguidos até agora. E, alguns desses ajustes, são fáceis de ser resolvidos sem desgaste. Por exemplo, o assessor de Comunicação, Will Jony Gomes Nogueira, poderia ir para a chefia da Secretaria de Governo, onde acumularia o comando da Comunicação. Ex-vereador, experiente e politicamente articulado, Will poderia melhorar a relação da administração Simone com a Câmara. Além disso, oficializaria algumas funções que já desempenha, como coordenador de reuniões com os comissionados. Poderia ainda acompanhar mais de perto as atuações das secretarias e contribuir para a diminuição de demandas. Até porque, a pasta de Governo está sendo acumulada por Shirley Marques, do Gabinete, já que Marlene Pessoa foi deslocada para a Secretaria de Administração.
Outra mudança positiva para o governo seria trazer um nome de peso para a Secretaria de Planejamento, a fim de melhorar a organização do governo, sobretudo, alguém que transite bem por várias pastas. A medida deixaria Elisângela Almeida mais livre para atuar como adjunta de Saúde. A ida dela para o setor foi pontual para ajudar Andrea Peixoto a administrar uma das pastas mais polêmicas da administração. Brenno Lima, do Settran, poderia assumir de vez a Secretaria de Serviços Urbanos, pasta da qual é adjunto, melhorando a relação com os setores de Obras, DAE e, claro, o próprio Settran. O vice-prefeito, Fabrício Lopes (MDB), poderia ser mais bem aproveitado pelo menos, com mais autonomia para resolver o que precisa ser feito em pontos estratégicos do Executivo.
Mudanças são bem-vindas porque a tentativa de acertar é sempre válida. Principalmente, para quem está na metade do mandato e precisa melhorar a avaliação popular, se quiser se reeleger ou eleger um substituto de sua base. A população está insatisfeita com os políticos e deu o recado nas urnas. Está na hora de Simone respirar novos ares, o que será bom para ela e também para João Monlevade.

() Erivelton Braz é editor do A Notícia e fundador da Rotha Assessoria em Comunicação