Coxia
26 de outubro de 2018

Coxia 2447

Confisco

A Prefeitura de João Monlevade estuda suspender alguns serviços para economizar, diante do confisco do governo estadual dos repasses do ICMS e Fundeb. Mesmo assim, segundo informações de bastidores, a Prefeitura tem em caixa cerca R$9 milhões. Os valores não significam que a administração vire o ano no azul. A tesoura está amolada...

Presidente

Quem será o próximo presidente da Câmara? Faltando pouco para o ano acabar, ainda não está definida a escolha de quem vai sentar-se no comando do Legislativo, embora haja alguns candidatos declarados. “Tem gente que pensa que é fácil ser presidente da casa. Mas é muito difícil administrar, além da Câmara, outros 14 egos”, afirma o atual presidente, Djalma Bastos (PSD). Recado dado.

Planejamento

Mais uma vez, vereadores criticaram a falta de planejamento da Prefeitura em relação às obras realizadas. Pra eles, os serviços são feitos sem aviso à população e sem uma estimativa de prazo ou ações para minimizar transtornos. Falta ao governo, um nome que entenda de obras e que também conheça a organização da gestão pública. Não dá para governar com achismos e decisões tomadas sem estudos técnicos.

Especialidades

Notícias de bastidores dão conta que o governo Simone vai levar as 15 especialidades médicas que funcionam na Policlínica para o prédio do antigo PA. A medida não é nova e estava nos planos dos ex-prefeitos Gustavo Prandini e Teófilo Torres. Inclusive, o município tem R$300 mil em caixa para adequações, liberadas pelo deputado Rodrigo de Castro. Porém, oficialmente, a administração não confirma. Mas onde há fumaça, há fogo.

Inusitado

Uma mulher foi presa dias atrás em Itabira ao realizar uma visita no presídio da cidade e ser flagrada retirando, de dentro da vagina, uma porção de maconha, que seria entregue ao detento que visitava. O fato é lamentável e, claro, trata-se de crime, mas não deixa de ser inusitado e chamar a atenção. Tomara que esse tipo de transporte não vire moda.

Atrasos

Usuários da linha 22, que faz o itinerário Satélite/Nova Monlevade, da empresa de transporte coletivo Enscon, de João Monlevade, entraram em contato com a redação do jornal A Notícia reclamando dos atrasos constantes da linha, principalmente no horário das 6:20h da manhã. Eles reclamam que estão chegando sempre atrasados no trabalho e, além disso, os ônibus utilizados na linha apresentam situação precária. Fica o registro da reclamação e o lembrete de que o usuário deve sempre ser respeitado.

Calote

Uma loja de consertos de produtos eletrônicos de João Monlevade, situada no bairro São Geraldo, tem sido alvo constante de reclamações de consumidores que, vez ou outra, entram em contato com o A Notícia se queixando de algum tipo de, segundo eles, calote sofrido. Como a situação e os fatos narrados ainda não viraram caso de polícia e os problemas continuam, é bom o consumidor ficar atento. Em tempos de crise e dinheiro curto e suado, tomar calote não é das melhores coisas.