Coxia
11 de outubro de 2018

Coxia 2443

Premiada

Prefeita de João Monlevade está de parabéns por chegar à final do Prêmio Prefeito Empreendedor do Sebrae. O resultado sai em novembro e a prefeita consegue uma marca importante para o seu governo, por valorizar o produtor e o comércio local. Essa Monlevade dá certo.

Sobe

O destaque da região do Médio Piracicaba nas eleições de 2018 foi, sem dúvida, a expressiva votação do deputado estadual Tito Torres (PSDB), que foi reeleito com 78.862 votos e, além disso, foi o candidato à Assembleia mais votado do PSDB em Minas Gerais. O monlevadense alcançou a 17ª posição entre os 77 deputados eleitos no último domingo e teve um aumento de mais de vinte mil votos. Saldo positivo para o tucano que, agora, é o único deputado estadual do Médio Piracicaba.

Desce

Já o também deputado estadual Nozinho (PDT) não conseguiu se reeleger, mesmo obtendo 40.648 votos neste ano. Muitos dizem que a derrota de Nozinho ocorreu devido à candidatura do itabirano Bernardo Mucida, que alcançou quase 25 mil votos em Itabira e atrapalhou os planos de Nozinho. A cidade é considerada estratégica e reduto eleitoral do pedetista, onde a irmã dele, Dalma Barcelos (PDT), é a vice-prefeita. Também, porque o prefeito Ronaldo Magalhães pediu a secretários e vereadores para apoiarem Tito Torres, tirando votos dos candidatos itabiranos. Coisas da política. Uma pena que uma das mais importantes regiões do estado, agora, só terá um deputado.

Filas

As eleições do último domingo (7) em João Monlevade foram marcadas por enormes filas em diversas seções eleitorais da cidade, geradas pela demora nas votações. Em vários locais de votação visitados pela reportagem do A Notícia, foram registradas longas filas. Para muitos, o fato se deve ao número de cargos a serem escolhidos, seis, e também por muitos eleitores não decorarem os números de seus candidatos e não levarem a famosa "colinha". Para exercer a democracia também é preciso ter paciência.

Caras de pau

Políticos da cidade, para apoiar candidatos a deputado federal que pouco ou nada têm com a região, garantiram que conseguiriam até 4 mil votos a eles na cidade. Óleo de peroba é pouco Nem a união de cinco vereadores conseguiu alcançar 2.000 votos para o candidato que apoiaram. Devagar com o andor...

Réus

Mesmo após sair do poder, alguns prefeitos da região não deixam de ter suas pendências com a Justiça. Dessa vez, o ex-prefeito de Rio Piracicaba, Gentil Alves Costa, se tornou réu em processo de improbidade administrativa movido pelo Ministério Público de Minas Gerais. A Ação Civil Pública se deve por possíveis irregularidades em um processo de licitação para a construção de uma Unidade Básica de Saúde. Outro ex-prefeito, de Itabira, Damon Lázaro Sena, foi denunciado pelo Ministério Público, após investigação da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público constatar que não foram feitos repasses patronais ao Instituto de Previdência de Itabira, ItabiraPrev. A exemplo da famosa Lava Jato, a Justiça está de olho.